Posts com a Tag ‘telemensagem de aniversário’

Impeachment de Dilma

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Ativista reconhecido de vida pública ex presidente do PT de SP, desligado desde o processo do Mensalão juntamente com a Dra Janaina Conceição Paschoal, advogada de eminente competência e Reale Junior, jornalista de carreira ao encaminharem o pedido de processo de impeachment de Dilma, não foram muito levados a sério, até que a irritação do Eduardo Cunha levou a aprovação de encaminhamento do processo que o Brasil tanto aguardava.

Dilma Rousself, deveria renunciar em respeito ao povo brasileiro tão sofrido e desrespeitado.

Diferença entre Xiitas e Sunitas

sábado, 28 de novembro de 2015

Vista como umas das mais significativas divisões do mundo islâmico, xiitas e sunitas aparecem em diversos noticiários sem uma devida explicação que possa esclarecer as dúvidas do grande público. Como se não bastassem os preconceitos que atingem a comunidade muçulmana como um todo, vemos que essa divisão é de suma importância para que seja possível entender a história de uma das mais importantes religiões existentes no mundo.

Por volta do século VIII, a expansão do islamismo por diversas partes do mundo determinou a origem da divisão que hoje estabelece a diferença entre xiitas e sunitas. Tudo isso se iniciou no ano de 632, quando a morte do profeta Muhammad abriu espaço para uma disputa sobre quem poderia ocupar a posição de principal líder político de toda a comunidade islâmica existente.

Ali, genro de Muhammad, reivindicava a sucessão por ser ele casado com Fátima, a única filha viva do profeta na época, e ter dois netos como descendentes diretos do profeta. Contudo, a maioria dos muçulmanos não concordava com essa ideia ao perceber que Ali era muito jovem e inexperiente para ocupar tamanha posição. Foi então que Abu Bakr, amigo do profeta, acabou sendo escolhido como sucessor pela maioria dos muçulmanos.

Após a vigência de Abu como califa, dois outros líderes foram aclamados como chefes supremos dos muçulmanos. Foi então que, em 656, após o assassinato do califa Uhtman, Ali conseguiu governar por um breve período. Nesse tempo, a forte oposição da tribo dos omíadas acabou estabelecendo a independência dos califados de Medina e Damasco. Pouco tempo depois, o próprio Ali acabou sendo morto por um grupo de partidários que não aceitava sua postura conciliatória.

Mesmo com essa dissidência, os partidários de Ali – conhecidos como “Shiat Ali” – prosseguiram lutando e questionando a legitimidade política dos califados que não se sujeitavam à autoridade dos descendentes diretos de Muhammad.
Conhecidos mais tarde como “xiitas”, eles acreditam que os líderes oriundos da linhagem do Profeta são líderes aprovados por Alá e, por essa razão, teriam a capacidade de tomar as decisões políticas mais sensatas.

Por outro lado, os sunitas – assim designados por também aderirem a Sunna, livro biográfico de Muhammad – têm uma ação política e religiosa mais conciliatória e pragmática. Preocupados com questões que extrapolam o campo da religiosidade, os sunitas empreendem uma interpretação mais flexível dos textos sagrados, estabelecendo assim um maior diálogo com outros povos e adaptando suas crenças com o passar do tempo.

Numericamente, os sunitas hoje representam mais de noventa por cento da população muçulmana espalhada pelo mundo. Na condição de minoria, os xiitas acreditam que sua vida ascética e a adoção de princípios mais rígidos garantiriam o retorno de Mahdi, o último descendente direto, que seria responsável pelo retorno de um governo mais justo e próspero. Já os sunitas acreditam que os livros sagrados (Alcorão e Suna) e a discussão entre os irmãos sejam suficientes para a promoção de um bom governo.

Por Rainer Sousa
Mestre em História
Equipe Brasil Escola

Fonte: http://brasilescola.uol.com.br/historiag/xiitas-x-sunitas.htm

Dólar dispara no mercado

sábado, 26 de setembro de 2015

Dólar acima de R$ 4,00.

Expeculação resultante na falta de confiança no País.

Se passar de 4.50 reais, estaremos mesmo no fundo do posso.

Não é uma questão de mercado, é a desconfiança sobre as ações do governo desastroso e nada patriótico que perdura mesmo apresentando pesquisa de descontentamento geral da população.

Vivo, fibra ótica

sexta-feira, 19 de julho de 2013

A Telefônica de São Paulo, atual Vivo, anuncia banda larga de qualidade e alta velocidade por fibra ótica.

Só não esquece de dizer que nas periferias ainda vai demorar para expandirem as fibras, onde o poder financeiro é menor que os das zonas onde há empresas e moradias de maior poder aquisitivo.

É compreensível, investir onde se consegue mais rapidamente vender o produto e amortecer os investimentos, mas o Brasil está há anos Luz dos outros países, com banda larga de qualidade e velozes a preços extremamente menores que aqui no Brasil.

Não falo só da Vivo, outras como a NET também, não oferece bons preços, vinculam serviços que não interessam, para que tenhamos banda larga de apenas 10 MB, vinculando TV por assinatura, telefonia, caso contrário fica inviável ter banda larga deles.

Você fica sem opção, ou tem o Combo deles ou Paga um valor bem acima do mercado por banda larga de baixa performance.

O Governo não cobra através da ANATEL, os investimentos na qualidade e custos menores.

Até quando vamos aguardar que sejamos mesmo um país tecnológico e minimamente adiantado!!!!

Controlar não permite acompanhamento

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Denúncia

Este é cercadinho que o proprietário tem que ficar esperando estranhos mexer no seu carro.

A empresa Controlar, contratada pela Prefeitura do Município de São Paulo destinada a avaliar o índice de poluição nos veículos cadastrados dentro da capital, exerce um comportamento diferente em cada unidade conforme depoimentos de vítimas deste sistema imposto sem consulta popular.

Aliás para taxas e tributos, quando é que a população é consultada?

Venho aqui reclamar de uma atitude que não concordo em hipótese alguma.

A Fila com hora marcada

Quando se aguarda a sua vez, numa fila com hora marcada, um funcionário leva o seu carro até a plataforma de avaliação.

Começa aí o erro! Quem deveria conduzir o veículo deveria ser o proprietário ou o condutor do mesmo.

Após posto lá na área de inspeção você é convidado a aguardar a uma certa distância.

Daí então começa um absurdo ainda maior.

O avaliador visual pede para acelerar o veículo, parado a uma rotação muitas vezes acima do recomendado para um motor que está sem tração. Já irrita ver seu carro na mão de um estranho acelerando como se fosse um KART de brinquedo.

Lá atrás do carro fica um sujeito especialista visual, acho que um elemento treinado com olhos precisos e com algum chip instalado que avalia o índice de fumaça e a quantidade de água que sai pelo escapamento.

Após a precisa e indiscutível avaliação por este fiscal da fumaça, aprova ou não, a seu critério.

Se ele disser que está com fumaça visível, você pergunta quanto acima do tolerável e qual o critério técnico e científico aplicado, uma vez que não há instrumento de avaliação aprovado pelo INMETRO, que deve sim colocar um selo de inspeção na testa do avaliador. Não tem conversa, ele reprova e você fica sem parâmetro ou informação necessária.

Alem disso temos que ouvir opiniões destes especialistas: Seu motor está fumando, leva pro mecânico de sua confiança.

Se aprovado, vem um outro especialista em imagens pelo olhar de águia sem selo do INMETRO, parece cão farejador procurando drogas embaixo de seu carro. E você fica ali no cercadinho como se estivesse sofrendo uma intervenção policial ou aguardando ansiosamente se vai ou não ser detido para averiguação mais criteriosa.

Ufa! não encontraram nada, agora um outro sujeito com os pés calibrados e especializado em acelerar acima da rotação desejada, que fica olhando para o painel e todo o interior do carro para ver o que tem lá dentro além das coisas corriqueiras, começa o ritual do pega defeitos.

Enquanto tudo isso acontece, eles agem como se fossem peritos policiais e como se o carro fosse do pai deles, aquele que vão para as baladas se aparecer com o patrimônio alheio. E você ainda no cercadinho, vendo estranhos mexerem no seu carro.

Considero um absurdo, este procedimento deveria ser acompanhado pelo proprietário do veículo.

Não concordo e nem acho respeitoso o proprietário ficar no cercadinho enquanto estranhos mechem em sua propriedade.  Afinal, pagamos para sermos insultados e desrespeitados, e ainda ficamos sujeitos a critério dos olhos de pessoas desconhecidas e um sistema que não oferece confiança ao contribuinte, uma vez que tudo é feito sem que você possa acompanhar o procedimento de perto.

Deveríamos todos exigir que permitam nosso acompanhamento.

Luiz Sergio