Posts com a Tag ‘PMDB’

Impeachment de Dilma

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Ativista reconhecido de vida pública ex presidente do PT de SP, desligado desde o processo do Mensalão juntamente com a Dra Janaina Conceição Paschoal, advogada de eminente competência e Reale Junior, jornalista de carreira ao encaminharem o pedido de processo de impeachment de Dilma, não foram muito levados a sério, até que a irritação do Eduardo Cunha levou a aprovação de encaminhamento do processo que o Brasil tanto aguardava.

Dilma Rousself, deveria renunciar em respeito ao povo brasileiro tão sofrido e desrespeitado.

Taxa SELIC

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Taxa selic é o índice de juros que o banco central determina para conter o aumento das compras financiadas, que gera queda nas compras quando elevada como neste ano de 2015.

é a referência para o governo refinanciar as dívidas públicas.

Esta patica é usada no mundo inteiro.

Nos países de governo bom e desenvolvido as taxas são mínimas.

Em países atrasados e governos perdidos economicamente como o Brasil, estas taxa se elevam.

Só mesmo os contribuintes tem como resolver isso.

TROCAR OS GOVERNANTES e dar um basta na festa da incompetência do governo atual.

Duas Estagiárias demitidas do Senado

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A casa tem mais problemas que se possa imaginar!

Duas estagiárias são demitidas depois de publicarem foto de roedor morto na gráfica da Casa e de fazerem comentários sobre Renan Calheiros em rede social na internet
Helena Mader 
O Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), assumiu o cargo há duas semanas e, desde então, é um dos alvos preferidos dos internautas brasileiros. Nas redes sociais, os insatisfeitos com a eleição do cacique do PMDB divulgam uma petição contra o senador, que, na manhã de ontem, já somava 1,5 milhão de assinaturas. Apesar de não comentar a mobilização popular, a direção do Senado está incomodada com a avalanche de críticas a Renan. Tanto que duas estagiárias da Casa foram demitidas, na semana passada, depois de postarem mensagens com comentários sobre o senador alagoano. As jovens estudantes, uma delas sobrinha do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, receberam a punição depois de publicarem no Facebook que Renan Calheiros seria um “problema” para o Senado. A demissão das estagiárias repercutiu entre funcionários da Casa: servidores que haviam compartilhado críticas, abaixo-assinados ou qualquer outro comentário sobre a eleição do presidente do Senado se apressaram em apagar qualquer vestígio das publicações. 
O episódio que levou à demissão das duas jovens aconteceu no dia 6. As estudantes estagiavam no Serviço de Administração da Secretaria de Recursos Humanos do Senado. Na manhã daquela quarta-feira pré-carnaval, as estagiárias e os colegas foram surpreendidos com a presença de um rato no meio do setor, que fica no prédio da Gráfica do Senado. Uma copeira matou o roedor com a ajuda de um calendário de papelão. O cadáver do bicho ficou por alguns minutos no chão e as duas jovens decidiram fotografá-lo. Uma delas postou a imagem no Facebook com uma legenda que dizia: “E a gente que achou que o único problema aqui fosse o Renan Calheiros”. A colega, que é filha da irmã de Joaquim Barbosa, publicou a foto com comentário semelhante. 
As duas estudantes demitidas estão assustadas com a polêmica e com receio de aparecer. A sobrinha de Barbosa, que estuda direito e era estagiária do Senado havia quase dois anos, não quis comentar a decisão. Ela cancelou sua conta no Facebook logo depois de ser demitida. Mas a colega contou ao Estado de Minas os detalhes do episódio, com a condição de ficar no anonimato. Depois de deixar o Senado naquela manhã, Karen (nome fictício) recebeu um telefonema do chefe, que pedia explicações sobre a foto publicada na rede social. O responsável pelo serviço de administração de RH marcou uma reunião com as duas estagiárias para a manhã seguinte. “Quando a gente chegou, o chefe colocou a foto que havíamos postado na internet sobre a mesa e, em cima, pôs a carta de demissão para assinarmos. Levei um susto, não imaginei que fossem tomar uma medida tão radical. Não fizemos nenhuma associação do senador Renan Calheiros ao rato. Acho que foi um mal-entendido”, comenta Karen. “Vários servidores do Senado compartilharam o abaixo-assinado contra Renan nas redes sociais, eu mesma havia feito isso semanas antes”, acrescenta a estudante de administração. 
Segundo Karen, ela também teve reuniões na Diretoria de Recursos Humanos. “Eles explicaram que a nossa demissão era uma determinação da Diretoria Geral. Alguém imprimiu a foto que postamos na internet e saiu mandando para a chefia. Disseram que o Renan era quem pagava nosso salário e que a gente não podia falar mal dele. Mas eu respondi que quem pagava nosso salário era o povo, e não o senador”, lembra a estagiária demitida. Elas recebiam R$ 820 mensais, além de R$ 130 de ajuda para transporte. Cerca de 2 mil estudantes fazem estágio no Senado. As duas jovens faziam despachos de pedidos de aposentadoria e de solicitações de adicionais de especialização. Karen entrou no Senado em setembro. Já a estudante de direito foi contratada em maio de 2011. Antes de chegar ao setor de Recursos Humanos, ela havia realizado estágio no Arquivo do Senado. 

“Indisciplina”
A Secretaria de Comunicação Social do Senado divulgou nota em que classificou a atitude das estagiárias demitidas como um “ato de indisciplina”. “Nesse contexto, a administração tem o dever de agir de acordo com o termo de compromisso assinado pelas estagiárias. Nos termos da lei, o estágio não cria vínculo empregatício e o desligamento não se condiciona à abertura de processo disciplinar”, explicou o Senado. “Além do conteúdo ofensivo da matéria, vale registrar que as estudantes postaram-na durante o horário de expediente, utilizando ferramentas de trabalho”, diz outro trecho da nota oficial. 
A assessoria de imprensa do presidente do Senado, Renan Calheiros, informou que ele não tinha conhecimento das demissões e que o caso só poderia ser tratado na Diretoria Geral. A assessoria do presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, informou que ele não comentaria o episódio, mas confirmou o parentesco com a estagiária demitida. Nos próximos meses, o Supremo deve analisar a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, contra Renan. O senador é acusado dos crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Segundo o MPF, Renan apresentou ao Senado notas frias para explicar a origem de recursos usados para custear despesas pessoais. 
(Colaborou Kelly Almeida) 

Senadores Relacionados

  • Renan Calheiros

Órgãos Relacionados

  • Gráfica do Senado Federal
  • Senado Federa

fonte: http://www.senado.gov.br/noticias/opiniaopublica/inc/senamidia/notSenamidia.asp?ud=20130215&datNoticia=20130215&codNoticia=800834&nomeOrgao=&nomeJornal=Estado+de+Minas&codOrgao=1096&tipPagina=1

Renan Calheiros e o Senado

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Denunciado que foi pela Procuradoria Geral da República por três crimes, Renan Calheiros (PMDB-AL) é o novo presidente do Senado.

Não há mesmo como contar com renovação, de sangue novo.

Talvez o novo seja incoveniente.

Inspeção Veicular em São Paulo – Resultados

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A Inspeção veicular na Cidade de SãoPaulo, é de fato uma boa iniciativa.

Entretanto, na capital paulista nas últimas semanas temos sofrido com a baixa unidade do ar e o crescente índice de poluição provocados pelos veículos que ficam parados nas avenidas congestionadas, sem que a prefeitura apresente projetos e soluções a curto e a médio prazo no  transporte público com um mínimo de qualidade ou alternativas que não sejam punitivas e de arrecadação para os munícipes.

Tenho pesquisado matérias que pudessem esclarecer os resultados da inspeção veicular que atua já a aproximadamente por 2 anos na capital paulista, que informasse o quanto reduziu o índice de poluição. Não tenho encontrado nada relativo a essa redução.

Será que de fato reduziu a quantidade de monóxido de carbono no ar?

Observei que uma quantidade enorme de veículos não tem sido aprovados ou até mesmo muitos nem estão levando para a inspeção.

A prefeitura de São Paulo, administrada pelos lendários PMDBistas, o que vai fazer com a apreenção de tantos veículos. Onde mais vai poluir a cidade com cemitérios de veículos sucateados, e penalizar ainda mais os contribuintes que tem que pagar as taxas de licenciamento, IPVA, DPVAT, pedágios e outras taxas desconhecidas da população, além de pagar custas fora de qualquer realidade para reaver seu veículo apreendido? (que são abandonados por serem impagáveis tais custas)

O Governo municipal, poderia usar parte da milhionária arrecadação de multas e taxas, impostas de forma compulsória, para oferecer aos proprietários de veículos em mal estado e que não tenham como mantê-los, um preço, baixo que fosse para que enviasse para a sucata e subsidiasse a juros baixos um financiamento para que esse contribuinte pudesse adquirir um veículo em bom estado.

Favorecer o munícipe e o bem estar da população de um município é a obrigação do governantes que elegemos e ficamo deles refém de toda as formas de cobrança e punição.

Pelo o que entendi, o proprietário que não tiver condições de consertar seu carro para passar na inspeção, ele não poderá vender o veículo, nem mesmo para outro município fora de São paulo, pois fica impedido de licenciar e transferir de propriedade.

O que o pobre mais uma vez vai fazer?

Observem que estas medidas só afetam mais uma vez os menos favorecidos, que mesmo sendo mais vulneráveis são os que mais precisam de seus carrinhos e os mais prejudicados. E que também pagam seus impostos.

O aspecto social fica de lado, presisamos aumentar a arrecadação, precisamos punir e deixar insolúveis os que tentam ter algum bem para o trabalho, necessidade e  ou lazer.

Enviem suas opiniões e sugestões para reduzir a poluição de São Paulo.

Façam os seu comentários, vamos tentar entender um pouco mais dos direitos dos cidadãos.

Luiz Oliveira

03/09/2010