Posts com a Tag ‘ouça telemensagem grátis’

Receita de Bacalhau de Natal

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Primeiramente para preparar esta deliciosa receita de Bacalhau especial de natal você precisa garantir que tirou o excesso de sal da carne.

Após remover este excesso coloque o peixe de molho no leite e então comece a preparar os outros ingredientes.

O tempo total de preparo desta deliciosa iguaria portuguesa é de aproximadamente 6 horas.

Ingredientes:

- 2 dentes de alho
- 50 g de amêndoas
- 2 cebolas médias
- 600g a 750g de bacalhau
- 125 g de purê de batatas
- 1 pimentão
- 1/2 copo de azeite
- 1 e 1/2 copo de leite
- folhas de louro
- salsa
- 8 colheres de sopa de maionese
- 3 ovos

Preparo dos ingredientes

Corte as cebolas em formato de meia lua, não muito grossas. Pique os pimentão em tiras. Triture o alho. Refogue estes itens em metade do azeite da receita (use apenas 1/4 do copo) e adicione o louro e salsa para fazer o refogado.

Cozinhe o bacalhau na outra metade da parte de azeite. Após cozinhar o peixe por 45 minutos, una as duas partes (bacalhau + refogado) e leve ao forno para acabar de cozinhar.

Decore uma forma ou pirex com o purê de batatas e despeje a mistura de ovo cozido e amêndoas picadas.

Cubra com a maionese e leve ao forno para dar cor ao prato.

Como servir o Bacalhau de natal

Para servir esta deliciosa receita de natal decore os pratos com azeitonas, a salsa e rodelas do ovo cozido que combina muito bem com este prato.

Feliz Natal!

fonte: http://receitasdenatal.org/receita-de-bacalhau-de-natal/

Dia dos Animais

terça-feira, 28 de setembro de 2010

04 de OUTUBRO

Por que hoje?

    • A primeira classificação dos animais, como conhecemos hoje, se deu em 350 a.C., com Aristóteles. Este filósofo grego catalogou, na época, 500 espécies. Ele já considerava o golfinho, por exemplo, um bicho da terra, explicando que, ao contrário dos peixes, ele amamentava os seus filhotes. Assim como as baleias, o golfinho se desenvolveu, de fato, em terra firme, migrando depois para o mar.

      Mal podia imaginar o sábio Aristóteles que, num futuro distante, esses mesmos golfinhos estariam ameaçados de extinção, necessitando de projetos voltados para a proteção das espécies, a fim de evitar o pior, ou seja, o extermínio. Aqui mesmo no Brasil, a noroeste da principal ilha do arquipélago de Fernando de Noronha, na costa pernambucana, os chamados golfinhos-rotadores são objeto de preocupação e cuidados de pessoas e entidades que se dedicam ao ecoturismo naquela região.

  • Quatro de outubro é o Dia dos Animais, a mesma data em que se festeja o dia de São Francisco de Assis. E não é coincidência, pois esse santo é o protetor dos animais. Ele sempre se referia aos bichos como irmãos: irmão fera, irmã leoa. São Francisco de Assis também amava as plantas e toda a natureza: irmão sol, irmã lua… São expressões comuns na fala do santo, um dos mais populares até os nossos dias.

    Nascido na cidade de Assis, em 1182, Francisco (quando ainda não era santo) tentou ser comerciante, mas não teve sucesso. Nas cruzadas, lutou pela fé, mas com objetivos individuais de se destacar e alcançar glórias e vitórias. Até que um dia, segundo contam livros com a história de sua vida, Francisco recebeu um chamado de Deus, largou tudo e passou a viver como errante, sem destino e maltrapilho. Desde então, adotou um estilo de vida baseado na pobreza, na simplicidade de vida e no amor total a todas as criaturas.

    Os golfinhos-rotadores ganharam esse nome por conta das inúmeras acrobacias executadas ao saltarem e mergulharem na água. Tipo de comportamento alegre, ainda não entendido pelos estudiosos, podendo ser desde uma mera brincadeira até uma sinalização acústica.

    As maiores ameaças a esses mamíferos marinhos são, além de um turismo não controlado, degradando e poluindo o habitat natural, as capturas acidentais e também intencionais dos pescadores. Já nas Filipinas, na Austrália e Venezuela, por exemplo, a captura desses animais tem como objetivo aproveitar a gordura do golfinho para usar como isca na pesca do tubarão.

    fonte: http://www.ibge.gov.br





29 de Maio – Dia o Geógrafo

quinta-feira, 27 de maio de 2010

A palavra Geografia é resultante da junção dos radicais gregos “geo” e “graphos”, significando respectivamente Terra e escrever. Geografia é, portanto, o estudo científico da superfície da Terra, com o objetivo de descrever e analisar a variação espacial de fenômenos físicos, biológicos e humanos que acontecem na superfície do globo terrestre.

A superfície da Terra é a camada do planeta de contato e inter-relacionamento entre a atmosfera, biosfera, hidrosfera e litosfera. Esta camada permite, através de seu equilíbrio natural, o surgimento de minerais, água, solos diferentes, vida animal, vida vegetal e uma série quase infinita de outros acontecimentos que tendem a mudar com o tempo. É de essencial importância para a Geografia o estudo destes fenômenos no espaço, no tempo, seu inter-relacionamento e agrupamento em padrões e funções.

    A título de curiosidade, vale a pena saber que essa profissão começou com os chineses, que foram os pioneiros na organização de dados geográficos sobre a região onde vivem.

    Atualmente, para a formação em Geografia, pode-se optar por alguns caminhos: a Licenciatura, o Bacharelado ou ambos. Escolhendo Licenciatura, atuará no ensino fundamental e médio. Optando pelo Bacharelado, poderá atuar como profissional geógrafo em empresas públicas e privadas, Prefeituras, Secretarias de Estado, por exemplo, ou também como autônomo. Em 1979, a profissão de geógrafo foi regulamentada (Lei no 6664); para exercê-la, é preciso ter bacharelado e registro no CREA.

    O objeto de estudo da Geografia é – como nas demais ciências humanas – a sociedade e sua organização espacial, que é resultante das relações sociais que vão se desenvolvendo ao longo da história, transformando a natureza. A natureza, por sua vez, transformada pelo trabalho social, é detectada como um espaço geográfico.

    O trabalho desenvolvido pelo geógrafo requer um conhecimento sólido da natureza, por meio do estudo dos aspectos que influem de forma direta no dia-a-dia das sociedades e em sua organização espacial, suas inter-relações, bem como um conhecimento apurado dos aspectos estruturais da sociedade e de como ela se apropria da natureza.

    O geógrafo pode atuar como professor do ensino fundamental ou ensino médio e, se tiver pós-graduação, poderá trabalhar em universidades como professor/pesquisador. Além disso, o mercado de trabalho foi ampliado devido à necessidade desse profissional nos planos diretores do município, nas comissões de meio-ambiente, sem falar que os problemas urbanos e as mudanças no espaço mundial vêm solicitando a presença de geógrafos em cursos, palestras, debates e outros eventos. Estudar os aspectos físicos da Terra, analisar dados sociais e econômicos de uma população, estudar os ecossistemas, prevenir impactos ambientais e levantar informações sobre solo, relevo, recursos hídricos, vegetação, clima são outras possibilidades de atuação do geógrafo.

    fonte: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/geografo/umpoucodehistoria.html