Posts com a Tag ‘energia solar’

14 de agosto – Dia do Combate à Poluição

domingo, 1 de agosto de 2010

14 de Agosto – Dia do Combate à Poluição

Nestes tempos de constante preocupação com o aquecimento global e suas conseqüências, o combate à poluição torna-se uma missão a ser cumprida diariamente. Com freqüência a população em geral culpa as autoridades e as indústrias pela poluição do meio-ambiente, transferindo-lhes a responsabilidade pelos danos causados à natureza. Entretanto, na guerra para salvar o planeta, a população é o principal soldado.

Atitudes simples do cotidiano podem contribuir de forma significativa para minimizar a poluição. Faça sua parte:

  • Separe o lixo reciclável
  • Não coloque pilhas e baterias na coleta seletiva. Há postos específicos para isto.
  • Evite fazer frituras e sempre jogue o óleo de cozinha utilizado nos postos de coleta apropriados.
  • Use papel reciclado
  • Economize água e luz
  • Troque as sacolas plásticas de supermercado por sacolas reutilizáveis.
  • Sempre que possível, deixe o automóvel na garagem. Dê preferência aos transportes coletivos e às caminhadas.
  • Use e incentive o uso da bicicleta como meio de transporte, e reivindique junto às autoridades locais a construção de ciclovias
  • Plante árvores nativas

fonte:  http://lproweb.procempa.com.br

Como funciona o horário de verão

domingo, 27 de dezembro de 2009

por Ana França

Todo ano, durante a primavera e o verão, os brasileiros das regiões sul, sudeste e centro-oeste precisam adiantar 1 hora os relógios

É o horário de verão, cujo objetivo principal é promover economia de energia elétrica através do aproveitamento da luz natural dos dias mais longos nesta época do ano.

A medida é mais eficiente nas regiões distantes da linha do equador, porque nestas regiões os dias se tornam mais longos, e as noites, mais curtas.

Já nas regiões próximas à linha do equador, os dias e as noites têm duração igual ao longo do ano, e a implantação do horário de verão nesses locais traz muito pouco ou nenhum proveito.

Dessa maneira, no Brasil, o horário de verão acontece apenas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. No Norte e Nordeste a medida não é aplicada.

E a programação da TV, como fica?
Nos estados brasileiros onde não vigora o horário de verão, o único impacto que as pessoas sentem é na programação das emissoras de televisão, que segue o horário oficial do Brasil adotado pelo Distrito Federal.

Um dos principais resultados esperados é diluir o horário de pico, evitando assim uma sobrecarga do sistema energético. Sem o horário de verão, o consumo maior de energia acontece por volta das 18h, coincidindo também com o consumo do comércio e da indústria. Com o adiantamento em uma hora, não há coinciência da entrada da iluminação, pois em sua grande maioria o comércio e a indústria reduzem o seu consumo a partir das 18h.

São Pedro, ajude-nos
O horário de verão 2007/2008 proporcionou uma economia de R$ 10 milhões, apenas um quarto dos R$ 40 milhões alcançados em anos anteriores.

A causa, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), foi o aumento do uso de termelétricas, devido ao baixo índice pluviométrico do período, que diminuiu o nível dos reservatórios das hidrelétricas, impedindo seu pleno uso.

Para exemplificar tudo isso, imagine o seguinte. Nas grandes cidades, as pessoas começam a chegar em casa por volta de 18 horas, ou seja, no início da noite. Chegando em casa a pessoa liga a luz elétrica interna. Nessa mesma hora, entra em operação a iluminação pública, placas de luminosos comerciais, etc. Além disso, as indústrias continuam trabalhando.
Com o horário de verão, as cargas de iluminacão pública e das residências passam a entrar após 19 horas, justamente quando o consumo industrial começa a cair. Com isso há a redução na carga nesse horário.

Na prática o horário de verão costuma gerar em média uma economia de energia da ordem de 1% e na demanda, no horário de pico, de 3,5 a 5%.

Apesar de parecer pouco, isso significa uma enorme economia. No horário de verão da temporada 2006/2007, por exemplo, houve uma economia de cerca de R$ 50 milhões de reais, com 4% na demanda de energia nos horários de pico e 0,5% durante todas às 24 horas dos dias.

Quanta economia!
A economia gerada pelo horário de verão equivale a 2 mil megawatts, o que equivale a produção de 3 turbinas de Itaipu ou ainda ao consumo de Brasília e Belo Horizonte juntas durante o horário de pico,
Fonte: www.agenciabrasil.gov.br

A implantação da medida também proporciona:

• diminuição dos riscos de restrição de carga no horário de ponta num eventual agravamento das condições dos reservatórios com conseqüente redução nas capacidades efetivas de geração por usinas;

• preservação do meio ambiente, evitando-se a poluição que seria produzida pela queima de combustível fóssil através da geração de energia elétrica de origem térmica;

• Melhoria da qualidade de vida da população, propiciada pelo maior aproveitamento da luz solar, obtendo mais tempo para o lazer e maior segurança ao entardecer.

fonte

Ana França.  “HowStuffWorks – Como funciona o horário de verão”.  Publicado em 11 de outubro de 2007  (atualizado em 19 de outubro de 2009) http://empresasefinancas.hsw.uol.com.br/horario-de-verao.htm (27 de dezembro de 2009)