Posts com a Tag ‘Canela’

Receita de Peru de Natal com Canela e Mel

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Existem várias maneiras de preparar um delicioso e apetitoso PERU DE NATAL que agrada a todos os paladares.

Nesta receita vamos ensinar a preparar um Peru usando canela, mel e vinho.

No preparo deste Peru de Natal você gastará em torno de 5 horas.

Ingredientes necessários:

- 1 Peru de aproximadamente 3kg
- 200 gramas de cebola
- 100 gramas de cenoura
- 100 gramas de salsão
- 250 ml de vinho branco
- 1/2 litro de água
- canela em pau
- 100 gramas de mel bom não açucarado
- 150 gramas de nozes
- 30 gramas de uvas passas
- 80 gramas de manteiga de sal
- pimenta-do-reino

Ingredientes para preparar o recheio:

- 350 gramas de pão de campanha picado
- 200 ml de leite desnatado
- 5 gemas de ovo
- 100 gramas de salsa picadinha
- 350 gramas de bacon em cubo
- 50 gramas de pistache moído

Modo de preparo:

- Coloque já picados a cenoura, a cebola e o salsão no fundo da forma onde vai assar.
- Coloque o Peru bem fechado sobre a forma e pincele com a mistura de manteiga, sal e pimenta.
- Leve ao forno pré-aquecido em 220º graus durante 20 minutos.
- Enquanto aguarda prepare o pão picado, a salsa e o pistache em uma tijela. Vá regando com leite quente e vá adicionando as gemas à mistura.
- Em uma frigideira regogue o bacon com os miúdos do Peru. Adicione a mistura que você preparou no passo anterior.
- Agora enrole o recheio com um filme pvc formando um tubo.
- Junte ao Peru e deixe assar por mais 1 hora e meia em forno médio (180º graus)
- Retire o Peru do forno e deglace a forma com o vinho e a água.
- Passe o mel, canela, uvas passas e as nozes e junte tudo ao Peru.
- Leve ao forno novamente por mais 50 minutos em forno médio.

fonte: http://receitasdenatal.org/peru-de-natal-com-canela-e-mel/

Tocantins – Palma, aniversário em 20 de maio

quinta-feira, 12 de maio de 2011

20 de Maio

A Criação de Palmas

De um descampado no meio do cerrado, surgiu Palmas – a última Capital planejada do século XX. Nasceu graças a determinação do governador José Wilson Siqueira Campos, seu criador e idealizador.

No dia 15 de janeiro de 1989, cinco dias após a instalação do primeiro governo tocantinense na capital provisória em Miracema do Tocantins (de 1º de Janeiro de 1989 a 31 de dezembro de 1989), o governador Siqueira Campos, acompanhado dos arquitetos Luiz Fernando Cruvinel e Walfredo Antunes e algumas autoridades, sobrevoou a extensa área de cerrado e escolheu a área de instalação da Capital do Estado, localizada aos pés da Serra do Carmo e a leste do povoado do Canela.

A construção de Palmas começou sob as bênçãos divinas, no dia 20 de maio de 1989, data do Lançamento da Pedra Fundamental. Uma multidão esperançosa de 10 mil pessoas assistiu, na Praça dos Girassóis, a primeira missa celebrada por D. Celso Pereira, bispo de Porto Nacional. No mesmo dia, o governador Siqueira Campos acionou o trator, abrindo a Teothônio Segurado, primeira avenida da cidade.

A criação da Capital só foi possível com a transferência da sede do município de Taquaruçu, seu prefeito e vereadores para Palmas. Assim, em 1º de janeiro de 1990, aconteceu a transferência oficial do Governo para a nova Capital e a posse do prefeito Fenelon Barbosa, e de nove vereadores, que assumiram o Governo Municipal. Outros importantes eventos marcaram a história de Palmas.

A capital do Tocantins vem valorizando sua arte e cultura. Prova disso é o Espaço Cultural de Palmas, que abriga o Theatro Fernanda Montenegro, a Sala Sinhozinho, a Biblioteca Jaime Câmara, o Centro de Criatividade, a Grande Praça e a Secretaria Municipal de Cultura propiciando o acesso da população aos bens culturais.

Palmas incentiva também o respeito a sua história, contada pelo povo e por seus monumentos: o Palácio Araguaia, a Praça dos Girassóis, o Palacinho, o Cruzeiro, o Monumento à Lua, a Casa Suçuapara, a Capela de Santa Rita de Cássia, a Assembléia Legislativa, o Barracão de Palha do Canela e o Memorial Coluna Prestes são alguns exemplos.

Palmas está pronta para os novos tempos. Tempos de mercado competitivo, do predomínio do conhecimento e da busca da qualidade. A cidade já tem os elementos essenciais para o sucesso, pois está à frente de seu tempo, captando recursos e acompanhando as tendências do limiar do terceiro milênio.

Palmas soube muito bem conciliar concreto e natureza. Mesmo transformando-se, diariamente, em pólo de desenvolvimento da Região Norte, a arquitetura da cidade emoldura-se com o Rio Tocantins e a Serra do Lajeado. Esses contrastes dão um toque singular na composição do cenário e, com população heterogênea, a Capital do Tocantins continua a atrair a curiosidade de todo o país.

Hoje observamos o crescimento ordenado de uma municipalidade que alia educação à cidadania, humaniza a saúde, oferece lazer e diversão, valoriza o trabalho, oportuniza a arte, investe na cultura e em ações esportivas. A Capital do Verde adquiriu o toque da magia e essa consciência social e ecológica reflete-se nas ruas tranqüilas e praças arborizadas de uma comunidade que vive em harmonia consigo mesma. Assim é Palmas.

Palmas

Símbolos de Palmas

A BANDEIRA

Bandeira de Palmas

Em campo branco, símbolo da paz, opõe-se um sol amarelo ouro sobre duas faixas estreitas e paralelas, em azul, dispostas horizontalmente e intercaladas eqüidistantemente a partir do lado inferior da bandeira.

As faixas azuis fazem alusão aos Rios Tocantins e Araguaia, de vital importância para o progresso e desenvolvimento do Estado e da Capital e o sol simboliza a sede do poder estadual, de onde emanam as grandes decisões do governo.

O BRASÃO

Brasão de Palmas

Em forma ovalada, sendo circundado por ramos de oliveira e entrelaçado nos cantos superior e inferior por guirlandas. Na guirlanda superior, em cor azul, vazada por letras em fundo branco, figura a frase símbolo do Estado do Tocantins, que no brasão municipal é escrita em português: “ESTA TERRA É NOSSA”, pelo fato de Palmas sediar a Capital do Estado.

O GIRASSOL

Símbolo turístico de Palmas, a imagem do girassol, que deverá ser utilizada isoladamente ou ao lado de outro símbolo oficial, visa a sua divulgação e propagação como um dos símbolos da cidade. A Administração Municipal utiliza o girassol nos impressos, nas correspondências, nos veículos, nas placas, nos prédios públicos e nos eventos oficiais dentro ou fora dos limites do Município.

O SELO

Criado ainda no ano da instalação do Governo Estadual em Palmas, o selo, com o desenho do girassol foi aprovado pela Câmara Municipal e sancionada pelo Chefe do Poder Executivo da Capital e, como os demais símbolos, passou a ser utilizado em ocasiões especiais.

Eventos marcantes da história de Palmas

21 de fevereiro de 1987 -Criação do Comitê Pró-criação do Tocantins.

05 de outubro de 1988 - Criação oficial do Estado do Tocantins, com a promulgação da Constituição Federal de 1988.

02 de janeiro de 1989 - Escolha da localização do Canela para sediar a Capital do Tocantins, no Governo Siqueira Campos.

28 de janeiro de 1989 - Definição do local em que seria construída Palmas, a Capital definitiva do Estado do Tocantins.

18 de maio de 1989 – O Cruzeiro foi erguido em frente ao Palácio Araguaia.

20 de maio de 1989 - Lançamento da Pedra Fundamental de Palmas. Na mesma data, Dom Celso Pereira de Almeida celebrou a Primeira Missa, na Praça dos Girassóis.

1º de junho de 1989 - Implantação da 1ª Legislatura da Câmara Municipal.

29 de dezembro de 1989 - Promulgação, pelo então prefeito de Taquaruçu, Fenelon Barbosa Sales, da lei de transferência da sede do município de Taquaruçu do Porto para Palmas.

1º de janeiro de 1990 - Instalação de Palmas, com a transferência dos Governos Estadual e Municipal para a nova Capital.

12 de dezembro de 1990 – Fundação da Academia Tocantinense de Letras.

28 de julho de 1992 – Tombamento do Palacinho, prédio que abrigou a sede provisória do Governo do Estado enquanto durou a construção do Palácio Araguaia.

1º de janeiro de 1993 - Posse de Eduardo Siqueira Campos, primeiro prefeito eleito da Capital do Tocantins.

21 de dezembro de 1995 - Criação da Casa de Cultura de Taquaruçu.

1º de janeiro de 1997 – Posse de Manoel Odir Rocha, como prefeito eleito de Palmas.

18 de agosto de 2001 - Lançamento do Pólo Ecoturístico de Taquaruçu.

Tocantins

Tocantins tornou-se Estado em 5 de outubro de 1988, tornando-se independente da região do antigo norte do Estado de Goiás.

O Estado está localizado na região Norte do Brasil e faz parte da Amazônia. Limita-se com os estados do Pará, Maranhão, Piauí, Bahia, Goiás e Mato Grosso. Possui uma área de 278.420,7 km2 , 139 municípios e uma população de 1.155.221 habitantes.

É um pólo para investimentos turísticos e conseqüente gerador de empregos. Graças a sua localização geográfica e recursos hídricos, está em excelentes condições de gerar energia hidrelétrica e se prepara para ser um grande exportador de energia.

Tocantins tem um subsolo rico em jazidas de calcário, gipsita, quartzo (cristal), ouro, turmalina, ametista, berilo, cianita, diamante, cobre, chumbo, zinco, cromos, pedras raras. A terra é própria para o cultivo de até duas safras por ano, além de viabilizar também a produção agropecuária.

Há seis grandes grupos indígenas no Tocantins – Karajá, Apinagé, Krahô, Xerente, Xambioá e Javaé.

Para que Tocantins se desenvolva cada vez mais, há também investimentos em programas de profissionalização e recursos para a educação indígena.

Palácio Araguaia

Palácio Araguaia

O Palácio Araguaia é a sede do Governo Estadual, centro do Plano Diretor e ocupa uma área útil de 14.000 m2, com quatro pavimentos, sendo um subsolo.

Monumento à Lua

Por ocasião do primeiro aniversário de Palmas, foi erguido, em mil novecentos e noventa e um, em frente ao Palácio Araguaia um monumento com três luas que estão em forma de quarto crescente, símbolo holístico que representa a fertilidade das terras tocantinenses. O autor do monumento foi o artista plástico André Katenas, residente em Goiânia, Goiás

Casa Suçuapara

A Fazenda Suçuapara, com a implantação do Município de Palmas, abrigou o primeiro governo administrativo municipal. Serviu, também, de sede para a Legião Brasileira de Assistência. Com a construção do Parque Cesamar, a casa ficou na área delimitada para aquele ponto de lazer, chamando a atenção de quem visita o local por ser em estilo rústico, passando a fazer parte da paisagem que integra o parque.

Palacinho

Palacinho

O Palacinho foi tombado pelo Governo do Estado pela Lei nº 431 de 28 de julho de 1992. Foi o primeiro prédio a ser construído no ano da instalação de Palmas, além de ter sido sede do poder executivo de 1989 a 1991. Nele foram tomadas importantes decisões para a consolidação de Palmas.

Sua construção foi feita em madeira de lei (jatobá), com o sistema de montagem pré-fabricado. Nele já funcionaram as Casas Civil e Militar e as Secretarias de Comunicação, Política, Particular e da Agricultura. Hoje, encontra-se vinculado à Secretaria de Estado da Cultura.

Cruzeiro

O Cruzeiro foi tombado, provisoriamente, pelo decreto nº 22, de 29 de fevereiro de 2000 e faz parte da história da criação de Palmas. Foi o primeiro monumento artístico e histórico erguido na capital, esculpido pelo artesão Arnildo Antunes, em pau-brasil e implantado em frente ao Palácio Araguaia, no dia 18 de maio de 1989.

Cruzeiro Tocantins

O Cruzeiro foi palco da primeira missa celebrada em Palmas, no Lançamento da Pedra Fundamental, em 20 de maio de 1989. É o principal marco da capital, onde são celebradas as missas campais em homenagem a Palmas e Tocantins.

Rio Tocantins

O rio Tocantins possui 2.500 km de extensão, se forma da junção do rio das Almas e do rio Maranhão, que têm suas cabeceiras no Planalto de Goiás, a mais de 1.000m de altitude. O principal afluente do rio Tocantins é o rio Araguaia, com 2.115 km de extensão, que nasce na Serra de Caiapó, na divisa de Goiás com Mato Grosso, a cerca de 850m de altitude e tem papel fundamental no processo de ocupação do território.

Fonte: www.campusvirtual.br