Posts com a Tag ‘banana’

Cuidado com as Dietas Milagrosas

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Vamos ser honestos: todo o mundo sabe o que fazer para emagrecer. Ou, no mínimo, para não engordar. O problema não é a dieta. Problemáticos são os dias, que são muitos, e que não param de se enfileirar a partir da segunda-feira que elegemos como ponto de partida para a boa forma.

O Verão e ano novo sempre trazem novas dietas milagrosas que prometem emagrecer rapidamente: dieta da maçã, da água, do pão, da banana, do suco emagrecedor de limão, etc. As dietas milagrosas estão em livros e revistas e são um grande atrativo para conseguir um corpo magro. Porém, as dietas milagrosas geralmente dão resultados apenas a curto prazo, ao diminuir a ingestão de calorias limitando grupos inteiros de alimentos. Desta forma, as dietas milagrosas desequilibram a ingestão de nutrientes que devem vir de uma variedade saudável de alimentos. É claro que os métodos radicais das dietas milagrosas podem ocasionar emagrecimento a curto prazo, porém emagrecer muito rápido, a menos que sob orientação profissional, não é considerado saudável.

É justamente para que consigamos encarar o dia-a-dia de pratos minguados sem sofrimento que os profissionais da parcimônia à mesa se esforçam, cada vez mais, nos estudos. E, sobretudo, na linguagem.

”Comece o dia com frutas frescas, uma fatia de queijo branco e chá ou café com adoçante.” A frase é linda. Mas bem poderia ser assim traduzida: o dia vai começar, quer você queira ou não. Já que está gordo, é favor não se entupir de pão e biscoito. Dê-se por satisfeito com uma frutinha e um naco de queijo. Se tiver fome, ainda assim, beba café ou chá. E sem açúcar!
Uma pessoa pode emagrecer passando por uma dieta restritiva como por exemplo ingerir somente 3 líquidos (água, suco de limão emagrecedor e chá verde), comer apenas 3 fatias de pão por dia, passar o dia ingerindo não muito mais do que banana e maçã, etc. Porém é inviável continuar com esse tipo de dieta milagrosa restritiva por muito tempo. Ao largar a dieta milagrosa, a maioria das pessoas recupera o peso que perdeu, o chamado “efeito sanfona”.

Para os nutricionistas, uma dieta saudável deve ser equilibrada e ter as seguintes características:
* Enfatizar frutas, vegetais, grãos integrais, e laticínios com pouca gordura.
* Incluir carne magra, ave, peixe, feijão, ovos e nozes.
* Ter pouca: gordura saturada, gordura trans, colesterol, sal e açúcares adicionados.

Lanche. ”Prefira uma fruta ou gelatina diet.” Tradução: não tem muita escolha; é frutinha ou gelatina. E sem açúcar!

Almoço. ”Faça uma gostosa seleta de legumes para acompanhar um filé de peixe grelhado. Antes, um farto prato de salada verde o ajudará a se sentir saciado.” Tradução: nem pense naquela picanha emoldurada lindamente numa capa de gordura, que você não está podendo. É peixe, folha, e olhe lá!

Jantar. ”Repita o padrão do almoço utilizando as substituições conforme o quadro abaixo.” Lá vai o sujeito, torcendo pelas tais substituições. Em vão. Sai peixe, entra frango. Sai cenoura, entra vagem. Sai salada, entra… mais salada. Tudo nesse nível.

E assim se sucedem as sutilezas literárias da sua pobre dieta literal. Até que você, já meio embriagado de fome, lê no cardápio de domingo a palavrinha mágica: ‘’sobremesa”. E quase nem acredita.

Engana-se, contudo, se achar que vai poder cair de boca no brigadeiro. Tolinho. A sua ”opção de sobremesa” (é como eles chamam a falta de opção) será, mais uma vez, a bendita frutinha. Eis uma das piores manias dos profissionais da silhueta: achar que a maçã, por exemplo, merece fazer parte do distinto time de guloseimas chamadas de sobremesa. Não merece; e vou adiante, até por uma questão histórica.

Maçã é maçã. Sobremesa é sobremesa. Sobremesa é qualquer comida doce, feita num momento bem-intencionado e ofertada num gesto meigo, cortês. Uma doce lembrança de viagem. Um bombom romântico. Ah, um suspiro! Ainda que seja uma bomba calórica, portanto, a sobremesa estará liberada por ter bons antecedentes.

Infelizmente, não se pode dizer o mesmo da maçã. Maçã é aquilo que Adão e Eva comeram – e deu no que deu. Não bastasse, foi a maçã que caiu na cabeça do sujeito que, então, decretou a tal lei da gravidade.

Se você é mulher e tem mais de 20 e poucos anos, sabe bem o que significa isso para a humanidade. A cada puxada de ferro na academia, você lembra que a maçã poderia muito bem ter ficado quietinha no seu galho. A cada onça de cinqüenta que você deixa com aquela amiga sacoleira dos cremes milagrosos, você lembra. A cada decote proibido. A cada luz apagada na hora H.

Sem exagero, se poderia dizer que 90% da indústria cosmética se sustenta porque as maçãs, em geral, não se sustentam. E os outros 10% são para dar uma corzinha às maçãs do rosto – claro, mulher nenhuma consegue ser rosada comendo só alface. Tudo culpa das maçãs, enfim.

Portanto, vamos aceitar os eufemismos e até as metáforas desse pessoal das baixas calorias; afinal, faz parte da profissão deles. Mas não vamos, em hipótese alguma, aceitar que a maçã seja promovida a sobremesa. Já chega esse bando de pudins dietéticos, outra contradição culinária que invadiu as prateleiras, fazendo-se passar por doce e pondo nossos antigos valores em dúvida.

Ora, se nem mais a sobremesa engorda, vamos acreditar em quê?

A invés de procurar dietas milagrosas, o aconselhável é buscar uma forma de controle de peso que possa manter pela vida toda incorporando ao estilo de vida. É importante também evitar ficar muito tempo sem comer. Ao invés de passar fome, os nutricionistas aconselham que se coma várias vezes ao dia pequenas porções de alimentos. Para emagrecer é preciso ingerir menos energia na forma de calorias dos alimentos do que a energia gasta através da atividade física e metabolismo do corpo.

Algumas dietas milagrosas atualmente em moda: dieta da água, dieta da banana, dieta da maçã, dieta do pão, dieta do suco de limão emagrecedor.

fonte:

http://opiniaoweb.com/boaforma/tome-cuidado-com-as-dietas-milagrosas/