Arquivo da Categoria ‘política’

Diferença entre Xiitas e Sunitas

sábado, 28 de novembro de 2015

Vista como umas das mais significativas divisões do mundo islâmico, xiitas e sunitas aparecem em diversos noticiários sem uma devida explicação que possa esclarecer as dúvidas do grande público. Como se não bastassem os preconceitos que atingem a comunidade muçulmana como um todo, vemos que essa divisão é de suma importância para que seja possível entender a história de uma das mais importantes religiões existentes no mundo.

Por volta do século VIII, a expansão do islamismo por diversas partes do mundo determinou a origem da divisão que hoje estabelece a diferença entre xiitas e sunitas. Tudo isso se iniciou no ano de 632, quando a morte do profeta Muhammad abriu espaço para uma disputa sobre quem poderia ocupar a posição de principal líder político de toda a comunidade islâmica existente.

Ali, genro de Muhammad, reivindicava a sucessão por ser ele casado com Fátima, a única filha viva do profeta na época, e ter dois netos como descendentes diretos do profeta. Contudo, a maioria dos muçulmanos não concordava com essa ideia ao perceber que Ali era muito jovem e inexperiente para ocupar tamanha posição. Foi então que Abu Bakr, amigo do profeta, acabou sendo escolhido como sucessor pela maioria dos muçulmanos.

Após a vigência de Abu como califa, dois outros líderes foram aclamados como chefes supremos dos muçulmanos. Foi então que, em 656, após o assassinato do califa Uhtman, Ali conseguiu governar por um breve período. Nesse tempo, a forte oposição da tribo dos omíadas acabou estabelecendo a independência dos califados de Medina e Damasco. Pouco tempo depois, o próprio Ali acabou sendo morto por um grupo de partidários que não aceitava sua postura conciliatória.

Mesmo com essa dissidência, os partidários de Ali – conhecidos como “Shiat Ali” – prosseguiram lutando e questionando a legitimidade política dos califados que não se sujeitavam à autoridade dos descendentes diretos de Muhammad.
Conhecidos mais tarde como “xiitas”, eles acreditam que os líderes oriundos da linhagem do Profeta são líderes aprovados por Alá e, por essa razão, teriam a capacidade de tomar as decisões políticas mais sensatas.

Por outro lado, os sunitas – assim designados por também aderirem a Sunna, livro biográfico de Muhammad – têm uma ação política e religiosa mais conciliatória e pragmática. Preocupados com questões que extrapolam o campo da religiosidade, os sunitas empreendem uma interpretação mais flexível dos textos sagrados, estabelecendo assim um maior diálogo com outros povos e adaptando suas crenças com o passar do tempo.

Numericamente, os sunitas hoje representam mais de noventa por cento da população muçulmana espalhada pelo mundo. Na condição de minoria, os xiitas acreditam que sua vida ascética e a adoção de princípios mais rígidos garantiriam o retorno de Mahdi, o último descendente direto, que seria responsável pelo retorno de um governo mais justo e próspero. Já os sunitas acreditam que os livros sagrados (Alcorão e Suna) e a discussão entre os irmãos sejam suficientes para a promoção de um bom governo.

Por Rainer Sousa
Mestre em História
Equipe Brasil Escola

Fonte: http://brasilescola.uol.com.br/historiag/xiitas-x-sunitas.htm

Taxa SELIC

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Taxa selic é o índice de juros que o banco central determina para conter o aumento das compras financiadas, que gera queda nas compras quando elevada como neste ano de 2015.

é a referência para o governo refinanciar as dívidas públicas.

Esta patica é usada no mundo inteiro.

Nos países de governo bom e desenvolvido as taxas são mínimas.

Em países atrasados e governos perdidos economicamente como o Brasil, estas taxa se elevam.

Só mesmo os contribuintes tem como resolver isso.

TROCAR OS GOVERNANTES e dar um basta na festa da incompetência do governo atual.

Campanha contra os juros dos cartões de Crédito

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Os juros de cartões de crédito e cheques especiais passam de 400% ao ano no Brasil.

Isso significa que uma compra de R$ 1000,00 ao final de 12 meses passou para R$ 4000,00.

Isto quando o cliente paga a fatura de forma coerente. Se pagar o valor mínimo sugerido pela operadora, isto vira uma progressão geométrica, ou seja uma bola de neve quase que impagável.

A sugestão mais recomendada é os clientes boicotarem os cartões, não utilizá-los ou não parcelar seus pagamentos.

Se cobram tanto é porque a população paga.

É uma questão de mercado.

Estes juros são extrorsivos,  agiotagem, crime contra economia popular.

O governo e suas leis, nada fazem para coibir tal prática de estelionato legalizado, assim como os tributos famintos que são cobrados de seu povo.

Parem de usar estes cartões.

Troque estas dívidas com créditos pessoais, mesmo que também proibitivos, mas menores que os dos cartões de crédito.

Deixem de fazer uso de práticas que te levam a falência e enriquecimento de instituições que lucram com a angústia e fraqueza de povo brasileiro.

Não aos Juros Abusivo das administradoras de cartões de  crédito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Dólar dispara no mercado

sábado, 26 de setembro de 2015

Dólar acima de R$ 4,00.

Expeculação resultante na falta de confiança no País.

Se passar de 4.50 reais, estaremos mesmo no fundo do posso.

Não é uma questão de mercado, é a desconfiança sobre as ações do governo desastroso e nada patriótico que perdura mesmo apresentando pesquisa de descontentamento geral da população.

Brasil em crise

sábado, 26 de setembro de 2015

2015 é o ano marcado para o resultado de um governo desastrado e relapso.

O ex-presidente Lula navegou e surfou nos resultados dos governos anteriores e condições internacionais favoráveis

Gastou, exagerou, contou vantagens, endividou o país e o seu povo mais pobre.

A Dilma então, aproveitou, sem entender nada do que estava fazendo.

E deu nisso aí, recessão, desemprego, contas que não batem

Agora nós vamos pagar as mazelas dela e sua turma do Petrolão.