Arquivo de março de 2013

Senha em Bancos

quarta-feira, 27 de março de 2013
Há cerca de um mês eu entrei no Banco Itaú para fazer um pagamento e, quando vi o tamanho da fila, pensei: 'Vou ficar horas aqui dentro'.   Foi quando me lembrei da lei que entrou em vigor na capital paulista (e no Brasil), que regula o tempo máximo de espera em fila bancária. Salvo engano, são 20 (vinte) minutos em dias normais, e 30 (trinta) em dias de pagamento de pensionistas do INSS.   Assim sendo, solicitei a um funcionário a senha com o horário de entrada na fila, pois se o tempo excedesse, eu encaminharia o papelucho para a prefeitura multar o banco.   Entrei na fila, e notei que de repente aquele som que sinaliza caixa desocupado, começou a tocar com maior freqüência, e a fila foi diminuindo rapidamente.   Quando cheguei ao caixa, ele solicitou a senha para autenticar, e eu fiquei intrigado. No meio de tantos clientes, como ele sabia que a senha estava comigo?   Examinei então os dois horários, entrada e saída e constatei que foram 17 minutos de fila. Eu esperava ficar mais de uma hora.   Percebi que quando eu pedi a senha, o gerente colocou mais caixas e o atendimento fluiu rapidamente.   Hoje, fui novamente ao mesmo banco e dei de cara com a mesma fila imensa. Não tive dúvida. Procurei um funcionário e pedi a senha. Ele, fazendo cara de bobo, perguntou: - Que senha? Não tem senha. Entre na fila.   Eu insisti.   Ele disse que não sabia de senha alguma...   Procurei os caixas e notei uma plaquetinha discreta que dizia: 'Se necessitar senha, solicite ao caixa'.   Pedi a senha ao caixa, e ele fez outra cara de bobo e disse: - Que senha? Parece que os funcionários já estão treinados a não fornecer a senha. Então eu exigi: - A senha que diz o horário que eu entrei na fila. É lei... O caixa meio contra vontade forneceu a senha e eu entrei na fila.   No início continuou lenta, quase não andava. De repente, o mesmo fenômeno, começou o som que não parava mais, e a fila foi rapidamente diminuindo.   Quando cheguei ao caixa, desta vez não foi surpresa, ele pediu a senha pra autenticar, e após a autenticação, ele se virou para uma senhora que circulava por trás dos caixas, com cara de gerentona, e em resposta à pergunta dela de...'E aí? Tudo bem?' O caixa respondeu:  - BELEZA.   Fui atendido em 14 (quatorze) minutos.   E a gerentona então deu um sinal que eu entendi que seria para alguns dos caixas voltarem para os locais de onde foram retirados para atender ao público.   MORAL DA HISTÓRIA - Existe sim um número de funcionários nos bancos, suficiente para atender dignamente o público, porém eles são desviados para outras funções mais lucrativas, tais como vender seguro por telefone, enquanto os idiotas dos clientes ficam na fila.   Eu não fico mais.   Cada vez que entrar em um banco, exija sua senha com o horário. Vamos lutar por esse direito obtido.   Não sejamos bobos...  É só a gente divulgar e insistir para a lei ser cumprida.   AFINAL ELES NÃO NOS POUPAM, cobram Encargos, Tarifas, Cestas, Taxas, todas abusivas tornando os Banqueiros os homens mais ricos do Planeta.   Se gostou, NÃO se esqueça de repassar a seus contatos!!!!  Poste o seu protesto no site >> http://www.protesteaquioficial.com.br/faca-seu-protesto/. Nós vamos avaliá-lo e publicá-lo na página principal do site, dessa forma todos poderão vê-lo. @[122202427856312:274:Proteste Aqui] @[122421767841547:274:Assuntos mais comentados no FACE] @[134878719929259:274:LEMBRAREMOS DE VOCÊ NA ELEIÇÃO] @[127403670678007:274:Dia Sem Imposto] @[365451900170701:274:Campinas Informa] @[538354226188348:274:Eu Curto Campinas]
Há cerca de um mês eu entrei no Banco Itaú para fazer um pagamento e, quando vi o tamanho da fila, pensei: ‘Vou ficar horas aqui dentro’.

Foi quando me lembrei da lei que entrou em vigor na capital paulista (e no Brasil), que regula o tempo máximo de espera em fila bancária. Salvo engano, são 20 (vinte) minutos em dias normais, e 30 (trinta) em dias de pagamento de pensionistas do INSS.

Assim sendo, solicitei a um funcionário a senha com o horário de entrada na fila, pois se o tempo excedesse, eu encaminharia o papelucho para a prefeitura multar o banco.

Entrei na fila, e notei que de repente aquele som que sinaliza caixa desocupado, começou a tocar com maior freqüência, e a fila foi diminuindo rapidamente.

Quando cheguei ao caixa, ele solicitou a senha para autenticar, e eu fiquei intrigado. No meio de tantos clientes, como ele sabia que a senha estava comigo?

Examinei então os dois horários, entrada e saída e constatei que foram 17 minutos de fila. Eu esperava ficar mais de uma hora.

Percebi que quando eu pedi a senha, o gerente colocou mais caixas e o atendimento fluiu rapidamente.

Hoje, fui novamente ao mesmo banco e dei de cara com a mesma fila imensa. Não tive dúvida. Procurei um funcionário e pedi a senha. Ele, fazendo cara de bobo, perguntou:
- Que senha? Não tem senha. Entre na fila.

Eu insisti.

Ele disse que não sabia de senha alguma…

Procurei os caixas e notei uma plaquetinha discreta que dizia: ‘Se necessitar senha, solicite ao caixa’.

Pedi a senha ao caixa, e ele fez outra cara de bobo e disse:
- Que senha?
Parece que os funcionários já estão treinados a não fornecer a senha.
Então eu exigi:
- A senha que diz o horário que eu entrei na fila. É lei…
O caixa meio contra vontade forneceu a senha e eu entrei na fila.

No início continuou lenta, quase não andava.
De repente, o mesmo fenômeno, começou o som que não parava mais, e a fila foi rapidamente diminuindo.

Quando cheguei ao caixa, desta vez não foi surpresa, ele pediu a senha pra autenticar, e após a autenticação, ele se virou para uma senhora que circulava por trás dos caixas, com cara de gerentona, e em resposta à pergunta dela de…’E aí? Tudo bem?’
O caixa respondeu:
- BELEZA.

Fui atendido em 14 (quatorze) minutos.

E a gerentona então deu um sinal que eu entendi que seria para alguns dos caixas voltarem para os locais de onde foram retirados para atender ao público.

MORAL DA HISTÓRIA – Existe sim um número de funcionários nos bancos, suficiente para atender dignamente o público, porém eles são desviados para outras funções mais lucrativas, tais como vender seguro por telefone, enquanto os idiotas dos clientes ficam na fila.

Eu não fico mais.

Cada vez que entrar em um banco, exija sua senha com o horário. Vamos lutar por esse direito obtido.

Não sejamos bobos…

É só a gente divulgar e insistir para a lei ser cumprida.

AFINAL ELES NÃO NOS POUPAM, cobram Encargos, Tarifas, Cestas, Taxas, todas abusivas tornando os Banqueiros os homens mais ricos do Planeta.

Se gostou, NÃO se esqueça de repassar a seus contatos!!!!

Poste o seu protesto no site >> http://www.protesteaquioficial.com.br/faca-seu-protesto/.
Nós vamos avaliá-lo e publicá-lo na página principal do site, dessa forma todos poderão vê-lo.

Falso Sequestro – Saiba como proceder

terça-feira, 26 de março de 2013
O Autor desta matéria foi muito claro e postou uma aula de cidadania.
Postou sua opinião no SITE Café Brasil, um foro para pessoas esclarecidas e inteligentes.
Cadastre-se e participe
Temos observado cada tipo de mensagem na internet que impressiona a criatividade em mentir . Infelizmente ao invés de ajudar muitas pessoas acabam atrapalhando.

Já escrevi sobre alguns tipos de golpes por telefone e gostaria de compartilhar com os demais. São dicas simples que podem ajudar as pessoas no cotidiano.

13 Dicas para você não cair no Golpe do Falso Sequestro

Quem nunca ouviu falar do golpe do falso seqüestro? É provável que você ou algum parente, vizinho, amigo, conhecido, etc., já recebeu uma ligação de criminosos que de alguma forma ou através de ameaça queria extorquir dinheiro ou cartões de créditos telefônicos. O crime acontece todos os dias, e a policia infelizmente não possui dados estatísticos, mas o número de casos que os criminosos concluíram o golpe ou aqueles no qual a vítima percebeu e desligou o telefone é incalculável.

A única barreira para este tipo de crime é a prevenção através da orientação conscientização. Para os criminosos não existe barreiras, desta vez, a vítima foi o vice-presidente José de Alencar que relatou ter recebido uma ligação no dia 25/04/10 dizendo que sua filha havia sido seqüestrada. Ele afirmou que o criminoso pediu R$ 50 mil. Até o vice-presidente acreditou que realmente era sua filha chorando. Mesmo com todo o esquema de segurança que existe, ele não impediu que tal autoridade sofresse ameaças. O histórico dos golpes dos falsos seqüestros tem sofrido algumas modificações, a cada instante eles mudam o “modus operandi”, o primeiro golpe no inicio era uma ligação telefônica na residência das vítimas exigindo a compra de cartões de créditos telefônicos ameaçava dizendo que iriam seqüestrar roubar ou matar alguém da família. A vítima, diante de tal ameaça, comprava os cartões e repassava as senhas aos criminosos. Com sucesso nos golpes, começaram a inovar criando o segundo tipo de golpe: O falso seqüestro. Aproveitavam a ausência de um integrante da família, ligam para sua residência e avisam que a pessoa ausente havia acabado de ser seqüestrada, pedindo como resgate um valor baixo e a compra de cartões telefônicos, prometendo que soltariam a suposta vítima no mesmo dia. 

O terceiro caso era da seguinte maneira: Sem possuir informações da vítima ou apenas alguns dados, ligam se apresentando como policial ou bombeiro, informando sobre um acidente de trânsito. Começam a coletar informações de alguém da família e que esteja fora de casa. Sem saber, a vítima, aflita, informa o solicitado. Com base nas informações os criminosos mudam de conversa e anuncia o seqüestro. O quarto golpe é a promessa de prêmios. Uma ligação informando que o assinante da linha telefônica foi sorteado ganhando um computador, motocicleta, etc. Para dar tom de seriedade eles se apresentam com o nome de algumas empresas (TV Band, TV Globo, Nestlé, Embratel, TIM, etc.). Para a retirada dos prêmios. informam que é preciso comprar e repassar as senhas dos cartões de créditos telefônicos em menos de uma hora para não perder os prêmios, depois que a vítima passa a senha, está consumado o golpe. 

Telefonema falso de cartão de crédito visa a adquirir número de segurança

O quinto caso, os bandidos fazem contato se passando por funcionário da operadora do celular. Dizendo que o aparelho foi clonado, solicitam que o mesmo seja desligado por uma hora para solucionar o problema. É o tempo necessário para entrar em contato com os familiares inventando a historia do seqüestro. A família tenta entrar em contato com a suposta vítima, como não consegue, acaba caindo na conversa dos criminosos. Recentemente o golpe de extorsão ganhou uma nova modalidade. O falso seqüestro ganha mais detalhes e faz novas vítimas a cada dia. Pelo telefone, criminosos, que muitas vezes estão presos, afirma que um parente da pessoa é mantido refém e exigem que a vítima faça depósitos bancários, ou marcam um determinado lugar para terceiros retirarem o resgate. Nesse último golpe, eles contam com a ajuda de criminosos que estão fora das cadeias. Truques usados pelos falsos seqüestradores têm feito a mentira parecer verdade. Simulando até a uma conversa, os criminosos também utilizam vozes do falso refém no suposto cativeiro chorando ou gritando para garantir o sucesso do golpe. Para você não ser a próxima vítima, e também orientar seus familiares e amigos e principalmente o executivo/autoridade no qual esteja trabalhando, veja o que pode ser feito para não cair no golpe. Caso aconteça as situações mencionadas, veja o que fazer: 

1. não compre os cartões; 

2. desligue o telefone; 

3. quando eles percebem que não vão conseguir extorquir, eles desistem; 

4. não se desespere você não está correndo risco. 

5. Procure ter em casa se possível um identificador de chamadas, facilita muito a identificação, principalmente se for ligações de outros estados; 

6. não tome atitudes precipitadas; 

7. quando isso acontecer, procure primeiramente a pessoa que foi alva do suposto seqüestro; 

8. evite conversar com o criminoso, finja que o telefone está com problemas, e desligue; 

9. fale que ele ligou para o número errado, ou diga que você é apenas um empregado que começou a trabalhar há pouco tempo; 

10. após esse tipo de ligação, deixe o telefone fora do gancho ou não atenda a ligações de números desconhecidos por algumas horas; 

11. não atenda pedidos estranho para qualquer procedimento no celular; 

12. não receba ligações a cobrar, principalmente quando o interlocutor for desconhecido; 

13. procure orientar os familiares idosos, pois são as vítimas preferidas dos criminosos. 

Para combatermos este tipo de crime, a prevenção e a orientação é a melhor solução, temos que conscientizar nossos clientes, no caso os executivos e autoridades, a equipe de segurança deve orientar quanto à medida de prevenção e o procedimento no caso de receber alguma ligação contendo alguma ameaça.

Siderley Andrade

Última Edição: 1 ano, 9 mêses atrás Por Siderley Andrade de LIma

http://www.portalcafebrasil.com.br/livre/mentiras-da-internet/o-telefone-que-clona

Falso Sequestro – Cuidados e Atitudes

terça-feira, 26 de março de 2013
O Sr. Siderley Andrade de LIma, um cidadão consciente e esclarecido nos dá algumas dica de suma importância de Alertas de atividades criminosas a que toda a população está sujeita.
Resolvemos então divulgar, citando o seu nome e os créditos ao Café Brasil, um foro de discussões de alto nível.
Parabéns!
Temos observado cada tipo de mensagem na internet que impressiona a criadividade em mentir . Infelizmente ao invés de ajudar muitas pessoas acabam atrapalhando.

Já escrevi sobre alguns tipos de golpes por telefone e gostaria de compartilhar com os demais. São dicas simples que podem ajudar as pessoas no cotidiano.

13 Dicas para você não cair no Golpe do Falso Sequestro

Quem nunca ouviu falar do golpe do falso seqüestro? É provável que você ou algum parente, vizinho, amigo, conhecido, etc., já recebeu uma ligação de criminosos que de alguma forma ou através de ameaça queria extorquir dinheiro ou cartões de créditos telefônicos. O crime acontece todos os dias, e a policia infelizmente não possui dados estatísticos, mas o número de casos que os criminosos concluíram o golpe ou aqueles no qual a vítima percebeu e desligou o telefone é incalculável.

A única barreira para este tipo de crime é a prevenção através da orientação conscientização. Para os criminosos não existe barreiras, desta vez, a vítima foi o vice-presidente José de Alencar que relatou ter recebido uma ligação no dia 25/04/10 dizendo que sua filha havia sido seqüestrada. Ele afirmou que o criminoso pediu R$ 50 mil. Até o vice-presidente acreditou que realmente era sua filha chorando. Mesmo com todo o esquema de segurança que existe, ele não impediu que tal autoridade sofresse ameaças. O histórico dos golpes dos falsos seqüestros tem sofrido algumas modificações, a cada instante eles mudam o “modus operandi”, o primeiro golpe no inicio era uma ligação telefônica na residência das vítimas exigindo a compra de cartões de créditos telefônicos ameaçava dizendo que iriam seqüestrar roubar ou matar alguém da família. A vítima, diante de tal ameaça, comprava os cartões e repassava as senhas aos criminosos. Com sucesso nos golpes, começaram a inovar criando o segundo tipo de golpe: O falso seqüestro. Aproveitavam a ausência de um integrante da família, ligam para sua residência e avisam que a pessoa ausente havia acabado de ser seqüestrada, pedindo como resgate um valor baixo e a compra de cartões telefônicos, prometendo que soltariam a suposta vítima no mesmo dia. 

O terceiro caso era da seguinte maneira: Sem possuir informações da vítima ou apenas alguns dados, ligam se apresentando como policial ou bombeiro, informando sobre um acidente de trânsito. Começam a coletar informações de alguém da família e que esteja fora de casa. Sem saber, a vítima, aflita, informa o solicitado. Com base nas informações os criminosos mudam de conversa e anuncia o seqüestro. O quarto golpe é a promessa de prêmios. Uma ligação informando que o assinante da linha telefônica foi sorteado ganhando um computador, motocicleta, etc. Para dar tom de seriedade eles se apresentam com o nome de algumas empresas (TV Band, TV Globo, Nestlé, Embratel, TIM, etc.). Para a retirada dos prêmios. informam que é preciso comprar e repassar as senhas dos cartões de créditos telefônicos em menos de uma hora para não perder os prêmios, depois que a vítima passa a senha, está consumado o golpe. 

Telefonema falso de cartão de crédito visa a adquirir número de segurança

O quinto caso, os bandidos fazem contato se passando por funcionário da operadora do celular. Dizendo que o aparelho foi clonado, solicitam que o mesmo seja desligado por uma hora para solucionar o problema. É o tempo necessário para entrar em contato com os familiares inventando a historia do seqüestro. A família tenta entrar em contato com a suposta vítima, como não consegue, acaba caindo na conversa dos criminosos. Recentemente o golpe de extorsão ganhou uma nova modalidade. O falso seqüestro ganha mais detalhes e faz novas vítimas a cada dia. Pelo telefone, criminosos, que muitas vezes estão presos, afirma que um parente da pessoa é mantido refém e exigem que a vítima faça depósitos bancários, ou marcam um determinado lugar para terceiros retirarem o resgate. Nesse último golpe, eles contam com a ajuda de criminosos que estão fora das cadeias. Truques usados pelos falsos seqüestradores têm feito a mentira parecer verdade. Simulando até a uma conversa, os criminosos também utilizam vozes do falso refém no suposto cativeiro chorando ou gritando para garantir o sucesso do golpe. Para você não ser a próxima vítima, e também orientar seus familiares e amigos e principalmente o executivo/autoridade no qual esteja trabalhando, veja o que pode ser feito para não cair no golpe. Caso aconteça as situações mencionadas, veja o que fazer: 

1. não compre os cartões; 

2. desligue o telefone; 

3. quando eles percebem que não vão conseguir extorquir, eles desistem; 

4. não se desespere você não está correndo risco. 

5. Procure ter em casa se possível um identificador de chamadas, facilita muito a identificação, principalmente se for ligações de outros estados; 

6. não tome atitudes precipitadas; 

7. quando isso acontecer, procure primeiramente a pessoa que foi alva do suposto seqüestro; 

8. evite conversar com o criminoso, finja que o telefone está com problemas, e desligue; 

9. fale que ele ligou para o número errado, ou diga que você é apenas um empregado que começou a trabalhar há pouco tempo; 

10. após esse tipo de ligação, deixe o telefone fora do gancho ou não atenda a ligações de números desconhecidos por algumas horas; 

11. não atenda pedidos estranho para qualquer procedimento no celular; 

12. não receba ligações a cobrar, principalmente quando o interlocutor for desconhecido; 

13. procure orientar os familiares idosos, pois são as vítimas preferidas dos criminosos. 

Para combatermos este tipo de crime, a prevenção e a orientação é a melhor solução, temos que conscientizar nossos clientes, no caso os executivos e autoridades, a equipe de segurança deve orientar quanto à medida de prevenção e o procedimento no caso de receber alguma ligação contendo alguma ameaça.

Siderley Andrade

Última Edição: 1 ano, 9 mêses atrás Por Siderley Andrade de LIma.

http://www.portalcafebrasil.com.br/livre/mentiras-da-internet/o-telefone-que-clona

Desapropriação em terreno no Jardim Iguatemi – Zona Leste

terça-feira, 26 de março de 2013

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo informou, no começo da tarde desta terça-feira (26), que foi suspensa a decisão do juiz de primeira instância que determinava a reintegração de posse de terreno no Jardim Iguatemi, na Zona Leste de São Paulo. A estimativa é que a área tenha 120 mil metros quadrados, 800 moradias e cerca de 1,7 mil habitantes.

O TJ diz que a decisão foi suspensa pelo juiz Jurandir de Abreu Júnior, da 4ª Vara Cível do Fórum Regional de Itaquera. O magistrado foi o mesmo que concedeu a liminar para a reintegração parcialmente cumprida nesta manhã.

Por meio de comunicado à imprensa, o juiz apresentou as justificativas para a suspensão da reintegração. Segundo ele, a suspensão ocorreu devido à intervenção do prefeito Fernando Haddad junto ao governador Geraldo Alckmin. Haddad irá desapropriar a área invadida.

Diz a íntegra da decisão:
Há poucos instantes, recebi comunicado do Juiz assessor da Presidência do Tribunal de Justiça, Dr. Guilherme de Macedo Soares, no sentido de que a Secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania, Eloísa de Sousa Arruda, por ordem do Governador do Estado, pediu para que fosse paralisada a reintegração de posse, porque, em contato com o Prefeito do município de São Paulo, Dr. Fernando Haddad, este último disse que assinaria, na tarde de hoje, decreto de desapropriação da área, aspecto que esvaziaria o conteúdo desta ação, pela perda de legitimidade ativa dos autores. Segundo a assessoria da Presidência, o Prefeito da Capital visitaria, ainda hoje, a Presidência do Tribunal de Justiça para melhor relatar os fatos.

Diante dos aspectos acima mencionados, suspendo a ordem de reintegração de posse.

Dê-se ciência ao Comando da operação da Polícia Militar, bem como ao Oficial de Justiça encarregado da ordem de reintegração de posse. Se necessário, em razão da urgência, cópia deste despacho poderá ser encaminhada à Polícia Militar.

Intime-se.

Confronto
A reintegração de posse foi acompanhada pela Tropa de Choque e outras forças de segurança. Houve confronto e ao menos duas pessoas ficaram feridas.

Logo após a ação policial e o começo da retirada dos moradores, o prefeito Fernando Haddad (PT) disse que tinha solicitado a suspensão da reintegração para o cadastramento das famílias, mas que o pedido foi negado pela Justiça. Ele afirmou que prepara um Decreto de Utilidade Pública (DUP) para fazer a desapropriação.

Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/03/justica-suspende-reintegracao-de-posse-em-area-na-zona-leste-de-sp.html

Assistência Técnica – Não tem peças de reposição

quinta-feira, 14 de março de 2013

Porque hoje as Assistências Técnicas  Autorizadas de eletro eletrônicos não entregam nossos produtos na garantia?

Desde o governo Collor em que se abriu indiscriminadamente a importação de forma irrestrita a produtos de toda ordem e origem, como roupas, eletro eletrônicos, automóveis, celulares, computadores, tablet, vestuários e inúmeros itens, a industria Nacional, sem apoio nenhum e sem condições de importar partes e peças, e ainda não ter no Brasil indústrias de componentes e tecnologia, faliram, fecharam, e muita gente mesmo ficou sem emprego.

Este reflexo, perdura ainda até hoje, pois temos cada dia mais que importar, uma vez que não há fabricantes de base em nosso País.

A balança comercial nunca vai ter equilíbrio em função desta dependência quase que irreversível da importação de produtos.

Só mesmo o governo reduzindo substancialmente os impostos e incentivando e financiando as empresas de pesquisa e tecnologia é que poderíamos ter esses produtos produzidos no Brasil com custos competitivos.

Hoje as empresas grandes, importam o produto inteiro em módulos e montão no Brasil.

Esta política é a que impede que as empresas de assistência técnica, não tenham peças, nem módulos

No setor de tecnologia e eletrodomésticos, fica ainda pior. As montadoras importam um determinado lote de aparelhos, e lançam no mercado. Em curtíssimo prazo lançam modelos mais novos, tornando obsoleto os anteriores. Não fazem estoque de partes e peças, pois nada é produzido aqui. Daí a falta de mercadorias de reposição.

O consumidor compra um produto made in Brasil e dentro os componentes são chineses, malasianos, americanos e de todas as origens.

Nos magazines, só encontramos produtos importados, com selo e logotipos de fabricantes nacionais.

Na realidade até os manuais vem em inglês, ou mal traduzidos para o português, muito resumidos de de difícil compreensão.

Enfim, o negócio é mesmo apelar para o código do consumidor para que as manutenções sejam efetivadas em até no prazo máximo de 30 dias, que lhe dá também a opção de exigir um outro produto novo em substituição ao que não foi reparado neste prazo e dentro da garantia.

Luiz Sergio

14/03/2013