Arquivo de fevereiro de 2011

Assalto Anunciado

domingo, 20 de fevereiro de 2011

1º RECADO DA POLÍCIA MILITAR

CUIDADO em BARES, RESTAURANTES, IGREJAS  e outros locais de encontros coletivos.

Bandidos estão dando de 10 x 0 em criatividade  em nós e na Polícia, portanto, vamos acabar com isso…..

Vejam: Você e seus amigos ou familiares estão num bar ou restaurante, batendo papo e se divertindo. De repente chega um indivíduo e pergunta de quem é o carro tal, com placa tal, estacionado na rua tal, solicitando que o proprietário dê um pulinho  lá fora para manobrar o carro, que está dificultando a saída de outro carro.

Você, bastante solícito vai, e ao chegar até o seu carro, anunciam o assalto e levam seu carro e seus pertences, e ainda terá sorte se não levar um tiro…

Numa mesma noite, o resgate da Polícia Militar atendeu a três pessoas baleadas, todas envolvidas no mesmo tipo de história.

Repasse esta notícia para alertar seus amigos…  O jeito, em caso semelhante é ir acompanhado! Chame alguns amigos para ir junto, e de longe verifique se é verdade.

Isto também pode acontecer, quando se está na igreja, supermercado… ou em outros locais de encontros coletivos.

‘MENSAGEM TRANSMITIDA PELO ATENDIMENTO 190

2º  AVISO DA POLÍCIA MILITAR

NOVA MODALIDADE DE ASSALTOS A VEÍCULOS

Imagine que você vai para o seu carro que deixou estacionado bonitinho, abre a porta, entra, tranca as portas para ficar em segurança e liga o motor.
Você não faz sempre assim?
Entretanto, olhando pelo espelho interno, você vê uma folha de papel no vidro traseiro, que te bloqueia a visão.
Então, naturalmente, xingando quem colocou um maldito anúncio no seu vidro traseiro, você põe o carro em ponto morto, puxa o freio de mão, abre a porta e sai do carro para tirar o maldito papel, ou o que seja que esteja bloqueando a sua visão.
Quando chega na parte de trás, aparece o ladrão, vindo do nada, te rende, entra e leva o seu automóvel c/ a chave na ignição, o motor que estava ligado (se tiver bloqueador já vai estar liberado), c/ a sua carteira, documentos e o que mais houver lá.
Assim, se houver alguma coisa bloqueando a sua visão, não desça do carro.

Arranque o seu veículo usando os espelhos retrovisores externos, espere e desça em outro local, mais à frente, c/ total segurança.
REPASSE!!! Esta é quente! Muito cuidado e atenção !!!
Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende.
Boa sorte, boa prevenção, e fiquem atentos .

Manifestações no Oriente segundo EUA

domingo, 20 de fevereiro de 2011
Escrito por Prensa Latina
Sex, 18 de Fevereiro de 2011 10:14
EUA responsabilizam Irã e Líbia por manifestações e queda de aliados no Oriente Médio e em represália armam plano para desestabilizar Ahmednejad e Khadafy.

Por KHATARINA GARCIA e PETER BLAIR.

De WASHINGTON e CAIRO – REDE MUNDO \ MIDIA LATINA; 17.02.11.

Após balanço de perdas e danos depois de quase um mês de manifestações no Oriente Médio onde praticamente perdeu a hegemonia política e corre o risco de uma queda de influência estratégica na região, os EUA através da CIA, do Pentágono e do Departamento de Estado, responsabilizam os líderes Muammar Khadafy, da Libia e Mahmoud Ahmednejad, do Irã, de serem os principais responsáveis pelo a onda de protestos que culinou com a queda dos principais aliados de Washington na região.

Considerada por árabes e persas as únicas duas democracia existentes no Oriente Médio e Golfo Pérsico, Líbia e Irã tem regimes e políticas que ameaçam a hegemonia dos Estados Unidos na região. Não aceitam subordinar os interesses populares e nacionais á política norte americana e foram países que após as respectivas revoluções cortaram relações com Washington e expulsaram empresas que tinham negócios nos respectivos países.

Por diversas vezes os serviços secretos de inteligência e segurança tentaram assassinar Muammar Khadafy e Ahmednejad, como única alternativa para mudança dos respectivos regimes, através de operações financiadas pelo próprio governo dos EUA e pelo complexo industrial militar estadunidense.

Em entrevista coletiva de imprensa o porta-voz do Departamento de Estado americano, Philip Crowley reafirmou as palavras do Presidente Barak Obama em que sugeriu apoio á oposição a Ahmednejad e a Khadafy, em represália á derrota política sofrida por Washington nestas últimas semanas e pela queda dos governos do Egito e Tunísia. A dificuldade no entanto, principalmente na Líbia, é encontrar condições para a realização de manifestaçõe contrárias a Khadafy, considerando que os próprios serviços secretos já informaram a Washington que o regime líbio dispõe de total apoio popular e a população tem em mente os bombardeios realizados pelo governo Regam onde dezenas de líbios foram assassinados a sangue frio pelos ataques dos EUA, inclusive uma filha de Khadafy.

Ontem, Ashur Shamis, um ativista líbio de oposição residente em Londres e recrutado pelos serviços de inteligência britânico (MI6) e norte americano (CIA) dava informações repassadas pela embaixada dos EUA no Reino Unido e admitiu, ainda que de forma constrangedora, o uso de imagens dos protestos no Barhen e no Yemem como se fossem realizadas em Tripoli e Bengazi,principais cidades líbias, o que desmascarou a ação montada pelos órgãos de informação e comunicação que trabalham juntos contra a Líbia e o Irã.

O Congresso dos Estados Unidos autorizaram a Casa Branca a dobrar os valores aprovados no orçamento de 2011 para gastos relativos a propaganda e meios de comunicação contra líderes que contrariam os interesses dos EUA no mundo, como é o caso de Muammar Khadafy, Mahmoud Ahmednejad, Hugo Chavez, Evo Morales, Rafael Correa, Raul Castro, Daniel Ortega, Cristina Krischner, Fernando Lugo, Kim Jog II. Os recursos devem ser usados na compra de espaço na mídia dos países governados por estes líderes em jornais, rádios, revistas e redes de televisão, que devem sempre se referi aos mesmos como ditadores e receberem sempre orientação dos Adidos de Imprensa nos respectivos países ou senão houver relações diplomática com estes, pelos agentes da CIA no país.

O orçamento total do projeto é de hum bilhão de dólares e só para o Brasil foram destinados 120 milhões para esse tipo de ação.

Semana passada uma reunião conjunta entre representantes da CIA. A Agencia Central de Inteligência, Departamento de Estado e do Departamento de Defesa, ficou acertado que além do financiamento de ações contra Khadafy e Ahmednejad nos seus respectivos países, repassando milhões de dólares aos opositores para que possam organizar manifestações deve se iniciar uma campanha na mídia mundial contra os dois e ainda procurar envolver seus aliados latino americanos para trazer aliados dos partidos de oposição a apoiarem as posições dos EUA.

O uso de imagens na mídia mundial das manifestações no Barhem, onde estar estacionada a Quinta Frota Naval dos EUA, e no Yemem, outro aliado da Casa Branca, como se fossem manifestações realizadas em Tripolí e Bengazi, que aconteceram, mas de apoio ao regime líbio e a Khadafy queimou em parte o plano dos EUA contra a Líbia. Ontem estudantes líbios em todo o mundo decidiram organizam manifestações de apoio a Khadafy e ao regime líbio. Os serviços secretos dos EUA e demais países decidiram infiltrar agentes para criar provocações e tumultuar as mesmas. E como forma de descaracterizar as manifestações a CIA e os Adidos de Imprensa nas embaixadas dos EUA ficaram responsáveis por divulgar noticias de contra propaganda, divulgando nos meios de comunicação dos mundo inteiro que os estudantes estão sendo obrigados a apoiarem Khadafy sob pena de perderem as bolsas de estudo, iniciando assim o plano que é coordenado pela própria Casa Branca.

Fotografias e imagens divulgadas por meios de comunicação alternativa e de um grupo de estudantes europeus que estão na Líbia retornando do Forum Social Mundial, em Dakar, no Senegal, mostram a veracidade das manifestações de apoio a Khadafy e ao regime líbio, considerado uma ameaça ao sistema norte americano.

Começando pelo poder que exerce o movimento estudantil e a juventude líbia que é praticamente quem dirige as universidades do país depois que Khadafy levou a cabo sua Revolução Cultural. Os EUA também acusam Khadafy de estar por trás das manifestações, proibidas de serem divulgadas nos EUA pelo Decreto Patriótico, realizadas diariamente a quarenta (40) dias em Porto Rico, por estudantes que exigem liberdade de expressa e ensino público naquele Estado Associado e que terminou por se tornar uma colônia norte americana.

O controle das noticias no ocidente sobre o que estar acontecendo no Oriente Médio é tamanha que em todas as manifestações, desde a Tunísia e Egito, são queimadas bandeiras dos EUA, fotos de Obama e também de George Bush, mas todas essa imagens são retiradas pelas agências de noticias e redes de televisão, controladas pela Casa Branca.

FONTES – AGNOT3ºMUNDO – REDE MUNDO – INTERPRESS – MIDIA LATINA – 17.02.11. PETER BLAIR, de Washington e KHATARINA GARCIA, do Cairo.

TROCA DE FAMÍLIA

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Troca de Família

O Programa (reality  show), Troca de Família da Rede Record, da semana  de 14/02/11, da Fernanda e Adriana, foi um show de contrastes culturais.

Por um lado a Fernanda, mulher dinâmica, prática, pouco desorganizada, pela intensidade de suas atividades e estilo de vida, por outro a Adriana, pessoa submissa literalmente criada e condicionada para ser a mulher dos anos  em que as mulheres eram criadas para casar e servir ao seu Senhor Marido.

O choque, não foi cultural por diferenças por regiões somente.

Temos a Fernanda e seu marido que trabalham, mantém sua família e ainda dividem seus rendimentos com os animais abandonados, que considero um serviço de solidariedade e muito importante visto o abandono em que se encontram os animaizinhos em nossa cidade.

Em contra partida, em Tupã, cidade não tão longe da Capital, o premiado montador de rodeios, marido da Adriana, ganha o seu dinheiro em cima dos animais, sem qualquer opção de escolha, premiando os que vivem do trabalho animal.

Ainda mais, uma criança é incentivada e exposta ao perigo iniciando-se nos rodeios, onde acho que para isso os pais e o juizado de menores, deveriam assumir publicamente suas responsabilidades pelos profissionais e iniciativas que ponham crianças em risco.

As crianças precisam brincar, estudar e receber uma educação com princípio de respeito humano, educação ecológica e amor aos animais que fazem parte dos seres vivos e de equilíbrio da natureza.

A Adriana, uma pessoa submissa não conseguiu ver na outra família, o respeito que recebeu, com educação e concessões para que a estada dela fosse mais agradável, cederam à cultura regional dela admitindo e até participando de uma festa com seus costumes, sem resistência e com todo respeito que todo ser humano merece, mesmo que de formação e conceitos diferentes.

Ao contrário, Fernanda sofreu na festa indiferença e até mesmo o marido da Adriana, provocou junto a seus amigos a ela lavar, como uma empregada uma grelha, e foi disseminado que ela não é uma mulher do lar, que no conceito deles é propriedade dos homens e nasceu para servi-los e ficarem em 2º plano, senão no último, pois os amigos e os bois de rodeio é que representam mesmo a vida para ele.

Outra coisa que considero muito grave neste episódio, é o marido da Adriana, no final do programa estar, junto a crianças e toda o público telespectador, usando uma roupa fazendo propaganda de bebida alcoólica.

Isso prova o grande equívoco desta cultura que ganha seu sustento com o sacrifício dos bois e ainda divulga produtos inapropriados ao tão reverenciado esporte de Rodeios.

Enfim, as diferenças como vimos, não é de cultura regional, é de filosofia entre o século XXI e o século XX.

Cuidados com o Calor e o Sol

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Enfrente as altas temperaturas com muita água, refeições ligeiras e frequente lugares frescos.

Muita água
Quando transpiramos, perdemos muitos líquidos. Para não sofrer de desidratação, beba mais água, mesmo sem sede. Esta é, muitas vezes, inferior às necessidades hídricas do organismo. A água é a bebida por excelência, mas pode optar por sumos naturais, ricos em sais minerais, que perdemos com a transpiração. Para repor os níveis de sais minerais, pode acrescentar à água um pouco de sal ou açúcar ou recorrer às chamadas bebidas para desportistas, se não for diabético ou hipertenso.

Refeições ligeiras
Opte por refeições ligeiras e repartidas, ricas em fruta e legumes crus. As refeições muito pesadas demoram mais a digerir e exigem uma maior quantidade de sucos gástricos, subtraindo água ao organismo.

Locais frescos
Nas horas mais quentes do dia, mantenha a casa na penumbra. Feche estores ou reposteiros e use ventoinhas com a cabeça rotativa, para maior circulação de ar. Se tiver ar condicionado em casa, regule-o numa temperatura confortável, não demasiado fresca, para evitar grandes diferenças de temperatura. Refresque-se com água fria, molhando os pulsos, as têmporas e a nuca. Evite fazer cozinhados que precisem de estar muito tempo ao lume, no forno ou fogão. Se a sua casa for muito quente, procure refugiar-se em locais com ar condicionado nas horas mais quentes, como museus, centros comerciais e cinemas. Evite esforços físicos.

Evite a exposição solar
Nas horas de maior calor, não se exponha ao Sol. Se não puder evitar, use chapéu, óculos de sol e protector solar. Opte por roupas leves e largas.

Golpe de calor
A exposição excessiva ao Sol pode provocar uma subida repentina da temperatura corporal, ou golpe de calor, situação por vezes perigosa. Sinais de alarme: pele vermelha, quente e seca, pulso rápido e forte, dor de cabeça, tonturas, náuseas, confusão e perda de consciência.

Esgotamento devido ao calor
A perda excessiva de líquidos e de sais minerais pode levar à desidratação, especialmente grave nos idosos e nos hipertensos. Sinais de alarme: transpiração excessiva, palidez, cãibras, cansaço e fraqueza, dor de cabeça, náuseas e vómitos, pulso rápido, respiração rápida e superficial, desmaio.

Medidas de emergência
Perante os sinais de alarme, e se a situação não for grave, algumas medidas simples são suficientes para o restabelecimento. Procure um local fresco, descanse e tente baixar a temperatura corporal: beba água e aplique panos molhados localmente.

Ligue para o 112, perante situações mais graves ou se a vítima for vulnerável aos efeitos do calor (idosos, crianças pequenas, pessoas acamadas, com insuficiência cardíaca ou respiratória, diabetes, hipertensão ou com outras doenças crónicas). Enquanto espera pela ajuda médica, tente arrefecer o corpo. Se a pessoa tiver cãibras, dê-lhe sumos naturais ou bebidas com minerais (bebidas para desportistas). Caso a vítima tenha contracções corporais involuntárias, não se deve dar líquidos. Coloque algo na boca que a impeça de se morder.

http://www.deco.proteste.pt

Brasileiros barrados na Espanha

domingo, 13 de fevereiro de 2011
brasil x espanha
Caso dos brasileiros barrados na Espanha causa indignação nas autoridades do Brasil

brasil_espanha.jpg

do El País

O país começa a aplicar “tratamento recíproco” a espanhóis

A negativa a permitir a entrada na Espanha de numerosos brasileiros que desembarcam no Aeroporto de Barajas, em Madri, provocou uma reação indignada das autoridades do Brasil. O Ministério das Relações Exteriores exigiu explicações do embaixador espanhol, Ricardo Peidró, que além disso foi convidado a comparecer diante do Senado. E o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou na terça-feira que abordaria o assunto no telefonema que faria para felicitar o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, por sua vitória eleitoral.

O alto número de brasileiros rejeitados quando tentavam entrar na Espanha (452 em fevereiro e 30 em um só dia de março) e as condições em que aguardam sua repatriação na área internacional de Barajas causou mal-estar na opinião pública e no governo do Brasil. Em resposta, as autoridades desse país negaram a entrada em seu território a 13 espanhóis este mês. O ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim (foto abaixo), explicou assim o que está acontecendo: “A palavra ‘represália’ não me agrada, me parece dura demais. É preciso dialogar, mas sob o ponto de vista da reciprocidade”.

celso-amorim.jpg

A média diária de brasileiros rejeitados na Espanha, que era de seis há dois anos, subiu para 15 nos últimos meses. O ministro Amorim, neto de uma espanhola, opina que as medidas de controle adotadas pelas autoridades migratórias espanholas são “incompatíveis com a situação de segundo maior investidor estrangeiro no Brasil”.
Foi isso que escutou o embaixador Peidró quando foi convocado à chancelaria. O diplomata espanhol argumentou que todo o assunto era produto de exageros da imprensa brasileira. Mas suas palavras provocaram a publicação de uma longa série de relatos de ofensas supostamente sofridas por brasileiros em Madri. Segundo eles, parece que o único critério da polícia no aeroporto é impedir a entrada de viajantes cuja idade oscile entre 20 e 35 anos. Negros, mulatos e mulheres sozinhas também seriam alvo dos agentes.

Mas o que mais incomodou as autoridades brasileiras não foram tanto as expulsões, como a inflexibilidade de suas homólogas espanholas. Um sociólogo que fez escala em Barajas quando se dirigia com uma companheira a um congresso em Lisboa afirma que perguntou a um dos agentes: “Por que nos tratam como cachorros?” e que o policial respondeu: “Porque vocês não passam de cachorros”.

As intervenções das autoridades brasileiras -do cônsul geral em Madri, Gelson Fonseca; dos diretores do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro; dos responsáveis pelo congresso português e do embaixador em Madri, José Viegas- não surtiram efeito. Os sociólogos foram repatriados, apesar de aparentemente cumprirem todos os requisitos para continuar a viagem até Portugal.

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores espanhol afirmou na terça-feira a EL PAÍS que as autoridades espanholas e brasileiras mantêm contatos com o objetivo de arbitrar “mecanismos que introduzam flexibilidade” e “evitem mal-entendidos” na hora de permitir a entrada em seu território de cidadãos do outro país. Esse porta-voz lembrou que a Espanha faz parte do espaço Schengen, que representa a abolição das fronteiras entre os países membros da União Européia em troca da homologação da política de fronteiras.

“Estamos amarrados por suas normas. Não temos outro remédio senão aplicá-las”, afirmou. No entanto, acrescentou que o importante é a troca rápida de informação, “para que a outra parte saiba por que não se admite um cidadão e tenha a oportunidade de esclarecer se ocorrer algum erro”. O objetivo é estabelecer um mecanismo rápido de coordenação consular como o que foi implementado com o Chile depois de problemas semelhantes.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

http://acertodecontas.blog.br