Conte como foi!

10 de setembro de 2009

Reservamos esse espaço para você contar como foram suas experiências com o envio de telemensagens pela nossa agência!

Nós sabemos de vários casos lindos, casais que se reconciliaram, mães emocionadas com a homenagem feita pelo filho e muito mais. Agora, conte a sua história!

Aproveite, esse espaço é todo seu!

Equipe Lee Telemensagem

Calendário de vencimento do IPVA 2016:

2 de dezembro de 2015

Calendário de vencimento do IPVA 2016:

Automóveis, Caminhonetes, Ônibus, Micro-ônibus, Motos e similares

Mês

Janeiro

Fevereiro

Março

Parcela

1ª Parcela ou Cota Única Com Desconto

2ª Parcela ou Cota Única Sem Desconto

3ª Parcela

Placa

Dia do Vencimento

Dia do Vencimento

Dia do Vencimento

Final 1

11/1

11/2

11/3

Final 2

12/1

12/2

14/3

Final 3

13/1

15/2

15/3

Final 4

14/1

16/2

16/3

Final 5

15/1

17/2

17/3

Final 6

18/1

18/2

18/3

Final 7

19/1

19/2

21/3

Final 8

20/1

22/2

22/3

Final 9

21/1

23/2

23/3

Final 0

22/1

24/2

24/3

Caminhões e Caminhões-trator

Mês

Janeiro

Março

Abril

Junho

Setembro

Parcela

Cota Única Com Desconto

1ª Parcela

Cota Única Sem Desconto

2ª Parcela

3ª Parcela

Placa

Dia do Vencimento

Dia do Vencimento

Abril

Junho

Setembro

Final 1

11/1

11/3

15/4

15/6

15/9

Final 2

12/1

14/3

Final 3

13/1

15/3

Final 4

14/1

16/3

Final 5

15/1

17/3

Final 6

18/1

18/3

Final 7

19/1

21/3

Final 8

20/1

22/3

Final 9

21/1

23/3

Final 0

22/1

24/3

IPVA 2016 – São Paulo (Mais barato)

2 de dezembro de 2015

Enfim, uma boa notícia este ano

IPVA 2016 será, em média, 3,3% mais barato para proprietários paulistas

Tabela de valores venais foi publicada pela Secretaria da Fazenda no último sábado (28) no Diário Oficial do Estado

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) ficará mais barato em São Paulo em 2016, uma queda nominal de 3,3%, em média, nos preços de venda praticados no varejo. A tabela de valores venais foi publicada pela Secretaria da Fazenda no último sábado (28) no Diário Oficial do Estado.

Os dados foram apurados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) que realizou a pesquisa referente a 11.055 diferentes marcas, modelos e versões de veículos.

O levantamento da Fipe, baseado nos valores de mercado de setembro de 2015, identificou maior queda de preços de venda para caminhões usados, que apresentaram recuo de 3,76%. Os automóveis tiveram redução de 3,40%, seguidos dos utilitários, com redução de 3,28%. Os preços de venda dos ônibus e micro-ônibus ficaram 3,15% mais baixos e os de motocicletas fecharam 2,72% abaixo do valor apurado no ano anterior.

As alíquotas do imposto permanecem inalteradas. Os proprietários de veículos movidos a gasolina e os bicombustíveis recolherão 4% sobre o valor venal. Veículos que utilizam exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, têm alíquota de 3%. As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.

Valores e investimentos por meio da arrecadação
A Fazenda prevê arrecadar R$ 14,4 bilhões com o IPVA em 2016. Deste total, descontadas as destinações constitucionais, o valor é repartido 50% para os municípios de registro dos veículos, que devem corresponder ao local de domicílio ou residência dos respectivos proprietários, e os outros 50% para o Estado.

Os recursos do imposto são investidos pelo governo estadual em obras de infraestrutura e melhoria na prestação de serviços públicos como os de saúde e educação. Dados preliminares do IPVA 2015 mostram que foram arrecadados R$ 13,4 bilhões até outubro deste ano.

A frota total de veículos no Estado de São Paulo é de aproximadamente 23,5 milhões. Destes, 17,5 milhões estão sujeitos ao recolhimento do IPVA, 5,7 milhões estão isentos por terem mais de 20 anos de fabricação e cerca de 250 mil são considerados isentos, imunes ou dispensados do pagamento (taxistas, pessoas com deficiência, igrejas, entidades sem fins lucrativos, veículos oficiais e ônibus/micro-ônibus urbanos).

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia2.php?id=243521

Impeachment de Dilma

2 de dezembro de 2015

Ativista reconhecido de vida pública ex presidente do PT de SP, desligado desde o processo do Mensalão juntamente com a Dra Janaina Conceição Paschoal, advogada de eminente competência e Reale Junior, jornalista de carreira ao encaminharem o pedido de processo de impeachment de Dilma, não foram muito levados a sério, até que a irritação do Eduardo Cunha levou a aprovação de encaminhamento do processo que o Brasil tanto aguardava.

Dilma Rousself, deveria renunciar em respeito ao povo brasileiro tão sofrido e desrespeitado.

Impeachmen de Dilma

2 de dezembro de 2015

Finalmente hoje, 02 de dezembro de 2015. Eduardo Cunha, aquele que diz não ter contas na Suiça, assinou o pedido do processo de Impeachmen de Dilma.

A população comemora muito, pois do jeito que está sendo conduzindo o Brasil não dá para tolerar.

Não creio que seja efetivado.Entretanto por incompetência é mais que necessário.

Esta cidadã, está brincando de chefe, mas não tem competência ou liderança para tirar o país desta bancarrota que ela e seus aliados promoveram.

Que venha mais recessão, mas que tenha uma luz no fim do túnel.

Não Vou Pagar o Pato

28 de novembro de 2015

Campanha de cidadania, Participem!!!!!!!!!!!!!!!!

28/10/2015

CONTRA CPMF, PATO GIGANTE É INFLADO NA PRAIA DE COPACABANA

O Diário da Manhã fala sobre a campanha “Não Vou Pagar o Pato”, lançada pela FIESP

Na crônica desta terça-feira (27), Salomão Schvartzman fala sobre a campanha “Não Vou Pagar o Pato”, lançada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) em setembro deste ano.

Contra-CPMF,-pato-gigante-e-inflado-na-Praia-de-Copacabana-thumb

Depois de realizar manifestações na Avenida Paulista e no Palácio do Planalto, o movimento chegou à Praia de Copacabana neste domingo (25). Assim como nos protestos anteriores, um pato inflável gigante, de 12 metros de altura, foi instalado no local. O ato foi realizado em pareceria com a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN).

A campanha tem como objetivo pressionar o governo e o Congresso contra a aprovação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), além de conscientizar a sociedade sobre os altos impostos já pagos em produtos e serviços e evitar um novo aumento da carga tributária.

Veja mais em: http://www.naovoupagaropato.com.br/deu-na-midia/contra-cpmf-pato-gigante-e-inflado-na-praia-de-copacabana/